Consoante labial

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pontos de articulação

Labial
Bilabial
Labiovelar
Labioalveolar
Labiodental
Dentolabial

Bidental

Coronal
Linguolabial
Interdental
Dental
Dentoalveolar
Alveolar
Apical
Laminal
Subapical
Palatoalveolar
Alveolo-palatal
Retroflexa

Dorsal
Palatal
Labial-palatal
Velar
Uvular
Uvular-epiglotal

Radical
Faríngea
Epigloto-faríngea
Epiglotal

Glotal

Esta página contém informações sobre fonética usando AFI, e podem ser exibidos incorretamente em alguns navegadores. Saiba mais

Consoantes labiais são consoantes articuladas ou com ambos os lábios (articulação bilabial) ou com o lábio inferior e os dentes superiores (articulação labiodental). O fonema [m], no português, é uma soante nasal, o [b] e o [p] são oclusivas (ou plosivas), e o [v] e o [f] fricativas labiodentais. Algumas variantes do português também apresentam fricativas bilabiais e as aproximantes bilabiais.

O arredondamento dos lábios, ou labialização, pode acompanhar também outras articulações. O som /w/, muito comum no inglês, é uma aproximante velar labializada.

As consoantes labiais se dividem em dois pontos de articulação:

Pouquíssimos idiomas, no entanto, fazem uma distinção unicamente com base nestes critérios (uma destas é o ewe, que tem os dois tipos de fricativas). Para a imensa maioria dos idiomas do mundo, labial é uma especificação fonêmica suficiente; a divisão dos sons entre bilabiais ou labiodentais depende de cada idioma, porém o padrão mais comum é o que existe no inglês: oclusivas bilabiais e nasais, fricativas labiodentais. Nenhuma outra aproximante puramente labial é tão comum quanto a aproximante labiovelar /w/.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Ladefoged, Peter; Ian Maddieson (1996). The Sounds of the World's Languages. Oxford: Blackwell. ISBN 0-631-19814-8.