Consoante soante

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Modos de articulação
Obstruente
Oclusiva
Africada
Fricativa
Sibilante
Soante
Nasal
Vibrante
Simples
Múltipla
Aproximante
Líquida
Vogal
Semivogal
Lateral
Fluxo de ar
Ejetiva
Implosiva
Clique
Esta página contém informações sobre fonética usando AFI, e podem ser exibidos incorretamente em alguns navegadores. Saiba mais

Na fonética e na fonologia, uma consoante soante, ou simplesmente soante, é um som produzido com um fluxo de ar contínuo e não-turbulento no trato bucal. As soantes são em sua maioria sonoras nas línguas do mundo. Todas as vogais são soantes, assim como algumas consoantes como /m/ em e /l/ em . Na escala de sonoridade, todos os sons mais altos que as fricativas são soantes e portanto, podem formar o núcleo de uma sílaba em algumas línguas que distinguem níveis de sonoridade.

A palavra ressoante é usada às vezes para chamar estes sons não-turbulentos. Neste caso, a palavra soante pode ser restrita a ressoantes não-vocoides, ou seja, todas as consoantes menos as vogais e semivogais. Entretanto, o término está em desuso entre os foneticistas.

As soantes contrastam com as consoante obstruente, que param ou causam turbulência no fluxo de ar e incluem fricativas e oclusivas. Entre as consoantes pronunciadas com a parte posterior da boca ou na garganta (uvulares, faringais e glotais), a distinção entre uma aproximante e uma fricativa sonora é tão tênue que nenhuma língua conhecida as contrastam.

Classificação das Soantes[editar | editar código-fonte]

Além das vogais, as seguintes consoantes são classificadas como soantes. São as:

  • consoantes aproximantes, que aproximam os articuladores, mas não o suficiente para produzir uma turbulência no fluxo de ar;
  • consoantes vibrantes, que se produzem através de uma contração muscular, jogando um articulador contra o outro, produzindo uma vibração;
  • consoantes nasais, que se produzem através de uma oclusão na boca enquanto o ar escapa pelo nariz.

Soantes nos idiomas[editar | editar código-fonte]

Já que as vogais são soantes, todas as línguas do mundo as possuem. As consoantes soantes são normalmente sonoras, embora alguns idiomas tenham soantes surdas fonêmicas, como o galês. Algumas línguas também admitem soantes como núcleo de sílabas, chamadas soantes silábicas. Um inventário comum de consoantes soantes entre as línguas são duas nasais /m/ /n/, duas semivogais /w/ /j/ e duas líquidas /l/ /r/. O inglês, por exemplo, tem 7 consoantes soantes que formam fonemas: /l/, /m/, /n/, /ŋ/, /ɹ/, /w/, /j/[1] . O português possui as seguintes soantes fonêmicas: três nasais /m/, /n/, /ɲ/, duas semivogais /w/, /j/ e quatro líquidas /l/, /ɾ/, /ʎ/, /ʀ~ʁ/[2] [3] [4] , esta última tendo muitos alofones. Enquanto as consoantes obstruentes portuguesas podem ser surdas ou sonoras, as soantes do português são todas sonoras.

Soantes surdas[editar | editar código-fonte]

Espectrograma da oração do idioma tcheco Strč prst skrz krk que significa 'Enfia o dedo na gargante'. No espectrograma se percebe claramente que as consoantes soantes que a compõem são tão brilhantes quanto vogais.

Enquanto a maioria das obstruentes é surda, a grande maioria das soantes é sonora. É certamente possível produzir soantes surdas, mas são fonêmicas apenas em aproximadamente 5% das línguas do mundo[5] , ocorrendo quase exclusivamente em idiomas em volta do Oceano Pacífico, como na Oceania, na Ásia Oriental, e nas Américas; pertencem a um grande número de famílias linguísticas, entre elas a austronésia, sino-tibetana, na-dene e esquimó-aleúte. Um exemplo de uma língua com soantes surdas de uma parte diferente do mundo é o galês, que contém uma vibrante surda fonêmica /r̥/, além das nasais surdas /m̥ n̥ ŋ̊/. Em todos os casos em que uma soante surda ocorre, há sempre um contraste com a sua equivalente sonora, ou seja, sempre que uma língua tiver um fonema soante surdo, como /r̥/, também possuirá a sua versão sonora, /r/ neste caso.

Soantes surdas tendem a ser extremamente silenciosas e muito difíceis de se reconhecer até mesmo para falantes cuja língua as contém, portanto, tais consoantes têm uma forte tendência a serem sonorizadas ou sofrer fortição, por exemplo, se transformarem em fricativas como /ç/ ou /ɬ/.

Soantes silábicas[editar | editar código-fonte]

Como as consoantes soantes estão próximas das vogais na escala de sonoridade, podem formar o núcleo da sílaba no lugar de uma vogal em algumas línguas. A língua inglesa permite três soantes nesta posição: a lateral /l/ e as nasais /m/ e /n/, como nas palavras even [ˈiːvn̩] 'mesmo', awful [ˈɔːfl̩] 'horrível' e rhythm [ˈɹɪðm̩] 'ritmo'.

Outro exemplo seriam as línguas tcheca e eslovaca que possuem duas soantes silábicas: r [r] e l [l], como na frase "Strč prstn skrz krk" na imagem ao lado. Além disso, o eslovaco também tem versões longas destas consoantes (ŕ e ĺ), como nas palavras kĺb 'junta', vŕba 'salgueiro' e škvŕn 'lugares'. Já o tcheco também possui m̩ e n̩, como em sedm [sedm̩] 'sete'.[6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Consonants. UCL DEPT OF PHONETICS & LINGUISTICS, (September 19, 1995). Página visitada em July 30, 2012.
  2. Cruz-Ferreira, Madalena (1995), "European Portuguese", Journal of the International Phonetic Association 25 (2): p.91
  3. Arlo Faria. Applied Phonetics: Portuguese Text-to-Speech (em inglês). University of California, Berkeley: [s.n.]. 7 p.
  4. Barbosa, Plínio A. & Eleonora C. Albano (2004), "Brazilian Portuguese", Journal of the International Phonetic Association 34 (2): 227-232
  5. Ian Maddieson (with a chapter contributed by Sandra Ferrari Disner); Patterns of sounds; Cambridge University Press, 1984. ISBN 0-521-26536-3
  6. http://nase-rec.ujc.cas.cz/archiv.php?art=5615