Cuidados pós-parto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Após o parto, a mãe e o recém-nascido carecem de alguns cuidados especiais pela sua vulnerabilidade.

Cuidados com a mãe[editar | editar código-fonte]

Consultas ginecológicas[editar | editar código-fonte]

Parte dos órgãos femininos são para internos e para conseguir examiná-los, a mulher precisa ir periodicamente ao ginecologista (médico que cuida da saúde da mulher), não importa se está doente ou não. Muitas mulheres sentem vergonha e medo de ir à consulta ginecológica, mas as consultas periódicas ajudam a cuidar da saúde e a prevenir doenças.

O exame ocorre numa cama especial, com apoio para as pernas ficarem abertas. Assim, o médico visualiza a região genital e pode fazer o exame da parte interna da vagina e colo do útero. Depois, com o exame de toque, introduzindo o dedo na vagina e apalpando o abdómen avaliará os ovários e a parte mais interna do útero.

Fazendo o exame ginecológico e o exame de Papanicolaou 1 vez por ano, é possível detectar a presença do vírus Hpv, relacionado com a incidência do cancro do colo de útero, bem como a presença de células cancerígenas, possibilitando a detecção e tratamento precoce desta doença. A consulta ginecológica também ajuda a detectar e tratar as doenças sexualmente transmissíveis.

Muitas podem ser portadora de uma doença sexualmente transmissível (DST) e não saber, ou porque os sintomas não são visíveis ou porque não são fáceis de se perceber. Quando a mulher descobre que está com uma DST, ela deve comunicar ao parceiro que também pode estar contaminado, mesmo que nenhum dos dois apresente sinais ou sintomas. Assim, devem iniciar o tratamento, garantindo a saúde de ambos.

Auto-exame[editar | editar código-fonte]

Além de ir ao ginecologista, também deve criar o hábito de olhar, observar e tocar os seus genitais para ver se encontra caroços, bolhas, dor no baixo ventre, corrimentos, verrugas, mau cheiro, feridas ou dor ao urinar. Também é importante examinar os seios para ver se encontra algum caroço, dor ou alteração. Isto ajuda a prevenir o cancro da mama.

Caso encontre algum problema, avise o seu parceiro e procure o serviço de saúde. Evitamos muitas complicações tratando os problemas logo no início.

Procedimento[editar | editar código-fonte]

  • Diante do espelho:
Eleve e baixe os braços. Observe se há alguma anormalidade na pele, alteração no formato, abaulamentos ou retracções.
  • Durante o banho
Com a pele molhada ou ensaboada, eleve o braço direito e deslize os dedos da mão esquerda suavemente sobre a mama direita estendendo até a axila. Faça o mesmo na mama esquerda.
  • Deitada
  • Coloque uma almofada debaixo do lado esquerdo do corpo e a mão esquerda sob a cabeça. Com os dedos da mão direita, apalpe a parte interna da mama. Inverta a posição para o lado direito e apalpe da mesma forma a mama direita;
  • Com o braço esquerdo posicionado ao lado do corpo, apalpe a parte externa da mama esquerda com os dedos da mão direita.

Caso encontre qualquer sinal que a preocupe, procure o médico. A maior parte das situações têm solução quando tratadas logo no inicio.

Cuidados com o bebé[editar | editar código-fonte]

Sono[editar | editar código-fonte]

Nos primeiros dias de vida, o seu bebé dorme muito tempo e a qualquer hora, desde que não tenha fome ou frio. À medida que vai crescendo, estará mais tempo acordado, vai regularizando as horas de sono, passando a distinguir o dia da noite.

Deite o seu bebé de lado, não vá ele bolsar e engasgar-se. O colchão da cama do bebé deve estar, ligeiramente inclinado (mais alto do lado da cabeça). Tape o bebé com um lençol e alguns cobertores leves. O bebé deve estar aconchegado mas não muito quente.

Se for possível ligue um intercomunicador no quarto do bebé por forma a ouvir qualquer som ou ruído que haja, nomeadamente quando acorda.

A partir dos seis meses é fundamental criar uma rotina para dormir ao seu bebé. No momento que antecede o deitar deve dar-lhe atenção e proporcionar um ambiente calmo. Convém associar este momento a uma determinada rotina que ele irá começar a identificar: dê-lhe banho, vista-lhe o pijama, brinque com ele, cante ou conte-lhe uma história. Deixe-o desenvolver os seus hábitos de conforto.

Se o bebé tiver medo do escuro poderá optar por deixar uma luz de presença no quarto.

Saia do quarto devagar para que o bebé não confunda a hora de dormir com a ideia de a perder.

Banho[editar | editar código-fonte]

A higiene é fundamental para o bem-estar do seu filha/o. O banho para além de ser uma medida de higiene indispensável, é também um momento muito importante, pois permite que os pais e o bebé estreitem o seu relacionamento afectivo num ambiente calmo e divertido.

  • Nos primeiros dias e até cair o cordão umbilical deve-se fazer uma lavagem por partes evitando molhar o cordão. Depois da queda deste, pode passar a dar um banho total no seu bebé.
  • Aconselha-se a que o banho seja diário, sendo a hora ideal o final da tarde (antes da última refeição), pelo efeito calmante que geralmente exerce. A duração do banho deve ser de 3 a 5 minutos nos primeiros dias, alargando-se depois pouco a pouco, segundo a vontade do bebé, de 15 a20 minutos. Inicialmente, é normal que o bebé tenha uma atitude passiva ou mesmo de desagrado, relativamente, à água mas com o tempo irá começar a gostar.
  • O ambiente deve estar aquecido, sem correntes de ar e a temperatura da água não deverá ultrapassar os 37ºC (pode testar a temperatura da água com o seu cotovelo ou com um termómetro próprio). Na banheira deve colocar sempre água fria e só depois, de uma forma gradual, água quente.
  • Antes de despir o bebé, convém ter, preparado, junto de si, tudo o que necessita para lhe dar banho, bem como uma muda de roupa completa. Nunca deixe o bebé sozinho na banheira pois pode ser perigoso.
  • Dispa o bebé mas não lhe tire logo a fralda. Envolva-o numa toalha para que não apanhe frio. Depois de confirmar a temperatura do banho, deverá tirar a fralda e começar por lavar a cabeça, pois assim terá a certeza de que está será lavada coma água mesmo limpa.
  • A lavagem da cabeça do seu bebé deve ser feita diariamente durante o banho, pelo menos nos primeiros meses, pois nessa altura a grande transpiração do bebé pode levar à formação de crostas. Para evitar este problema natural, deve limpar-se, diariamente, o cabelo utilizando um sabão ou champô neutro. Depois de o cabelo estar seco deve penteá-lo com uma escova macia ou com um pente.
  • Ponha o bebé dentro de água e segure-o passando um dos seus braços para trás dos ombros, para que a cabeça dele fique levantada e apoiada no seu braço. Desta forma terá uma mão livre para o lavar.
  • Comece por molhar o seu bebé aos bocadinhos e muito lentamente, para ele não se assustar. Lavando uma zona do corpo de cada vez e ensaboando sempre de cima para baixo.
  • Por fim, retire o bebé do banho e embrulhe-o numa toalha grande e aquecida. Seque-o cuidadosamente antes de o vestir.

Olhos[editar | editar código-fonte]

A higiene dos olhos deve ser feita antes da lavagem da face e com uma gaze ou bolinha de algodão embebida em soro ou água. Deve ser utilizado uma gaze para cada olho de forma a evitar passar eventuais infecções. Deve limpar de fora para dentro e de cima para baixo.

Nariz[editar | editar código-fonte]

A sua limpeza deve ser feita sempre que se observem secreções, e se for preciso pode utilizar-se soro fisiológico, mas com indicação do pediatra ou do médico de família.

Ouvidos[editar | editar código-fonte]

A higiene dos ouvidos deve ser feita com precaução e superficialmente, utilizando uma gaze macia. Não introduza cotonetes.

É conveniente que o canal auditivo tenha um pouco de cera. A cera é a secreção natural da pele, que lubrifica o canal do orifício externo. É anti-séptica e impede as poeiras e as impurezas de penetrar o tímpano.

Mãos[editar | editar código-fonte]

A lavagem das mãos deve ser feita frequentemente, tentando criar este hábito

desde pequeno tanto mais que eles vão estar, permanentemente, a chupar os dedos ou os objectos que encontram.

Unhas[editar | editar código-fonte]

Devem estar sempre curtas, o que facilita que se mantenham limpas, evitando os arranhões na pele. Podem cortar-se com um pequeno corta-unhas de bebé ou uma tesoura de bicos redondos e com uma frequência de 7 a 10 dias, de acordo com o seu crescimento. Idealmente deve-se cortar após o banho pois as unhas estão amolecidas e o bebé mais calmo.

Umbigo[editar | editar código-fonte]

Até à sua cicatrizarão completa deve limpar-se com álcool a 70º após as mudas de fralda. Sempre que o umbigo apareça irritado ou avermelhado deve consultar o pediatra.

Órgãos genitais[editar | editar código-fonte]

No banho há que limpar bem todas as pregas da pele, os órgãos genitais e o ânus. No caso dos meninos lave o pénis de cima para baixo e a zona à volta dos testículos. Não deve puxar a pele (prepúcio) para trás pois pode magoá-lo. É suficiente limpar a pele à superfície.

No caso das meninas não limpe o interior da vagina (vulva), para não provocar infecções. Limpe sempre da frente para trás para não arrastar bactérias do ânus para a vagina. Nos primeiros dias pode ser que encontre sangue ou um fluido branco na vagina. Este facto pode acontecer porque ainda há hormonas maternas a circular no interior do seu corpo. É normal e desaparece ao fim de alguns dias.

Muda de fralda[editar | editar código-fonte]

A pele do seu bebé é muito delicada e sensível. É uma pele frágil e fina que, por ainda não ter todas as suas defesas, pode irritar-se facilmente.

O que são assaduras:

A necessidade do uso de fraldas condiciona uma das zonas mais sensíveis do corpo do bebé, ou seja o rabinho, cuja irritação mais frequente é a assadura da zona coberta pela fralda, também denominada de dermatite ou eritema da fralda.

Os sinais de assadura podem variar desde um simples vermelhidão, pele seca, aparecimento de borbulhas, até à descamação e formação de gretas.

As assaduras podem ser dolorosas e causar muitos desconfortos ao bebé. Quando surgem devem ser tratadas de imediato para evitar o risco de infecção.

Causas:

  • ambiente quente e húmido criado pela fralda
  • muda da fralda pouco frequente
  • contacto prolongado da pele com a urina e as fezes
  • diarreia
  • utilização de detergentes, na lavagem das fraldas de pano, que possam conter agentes agressores para a pele do bebé
  • aplicação de produtos de higiene que contenham perfume

Prevenção:

  • mudar com frequência a fralda e no caso de existirem fezes, a substituição deverá ser o mias rápido possível.
  • limpar muito bem o rabinho do bebé deixando secar convenientemente a sua pele.
  • em cada muda da fralda, aplicar uma camada espessa de pomada à base de óxido de zinco, de modo a criar uma barreira protectora, entre a pele do bebé e, a urina e as fezes.
  • à noite, antes de deitar o bebé, proteger melhor o rabinho aplicando uma maior quantidade de pomada, pois vão passar várias horas até à próxima muda da fralda.
  • utilizar de preferência fraldas descartáveis e super absorventes.

Tratamento:

  • lavar o rabinho do bebé com água morna sem sabão.
  • secar bem o rabinho do bebé, sem esfregar, não esquecendo as pregas e as dobras.
  • se possível, deixar o bebé sem fralda durante algum tempo.
  • em cada muda de fralda, deverá cobrir toda a zona afectada com uma camada espessa de pomada à base de óxido de zinco (exª Halibut, Lauroderme, Vitamina A pomada).
  • mudar a fralda o mais frequente possível.
  • não utilizar produtos de higiene com perfume ou álcool.

A dentição[editar | editar código-fonte]

O aparecimento do primeiro dente é um acontecimento tão importante para o seu bebé como para si. Não existe uma idade certa para o aparecimento do primeiro dente. Muitos bebés nascem já com um dente, outros chegam até ao ano sem nenhum. Estas variações são perfeitamente normais e devem-se a factores hereditários. Regra geral, os primeiros a romper são os incisivos do maxilar inferior.

Umas semanas antes do aparecimento dos dentes podem ser visíveis alguns sintomas: o bebé começa salivar muito e a babar-se e a meter as mãos na boca, quer morder objectos duros, irrita-se com facilidade, apresenta zonas vermelhas e inchadas onde os dentes estão a romper, dorme e come mal.

Para o aliviar pode pedir ao pediatra que lhe receite algum medicamento ou pode dar ao bebé argolas de dentição específicas para ele morder e massajar as gengivas.

Quando o seu bebé começar a ter dentes, deve limpa-lo com um pano ou uma compressa. Esfregue suavemente os dentes e as gengivas para eliminar a placa bacteriana e os ácidos que podem estragar os dentes.

Vacinação[editar | editar código-fonte]

Consulte Calendário Nacional de Vacinação.

Ver também[editar | editar código-fonte]