Cume

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Monte Damavand, no Irã, durante o inverno.

Um cume é, em termos de topografia, o ponto de uma superfície que é mais elevado em altitude que todos os pontos imediatamente adjacentes a ele. Matematicamente, é o ponto mais elevado de um terreno. Os termos cimo, cúmulo, topo ou pico são seus sinônimos.

Geralmente, é um termo utilizado para designar picos montanhosos que possuem uma significativa proeminência topográfica ou singularidade topográfica (grande distância do ponto mais próximo de maior elevação). Assim, um bloco rochoso próximo ao cume principal de uma montanha não é considerado um cume.

Os cumes próximos a outro mais alto, com menor proeminência ou isolados, que não alcançam determinado valor limite, normalmente são considerados subpicos do pico principal e, portanto, parte da mesma montanha.

Um pico piramidal é um cume montanhoso com forma pontiaguda produzida pela erosão do gelo.

Cuminal[editar | editar código-fonte]

O ponto cuminal (culminante) é o temo empregue para se referir ao ponto mais elevado de um cume [1] .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Infopédia. Página visitada em Março 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Peaklist.org página sobre a proeminência das montanhas, com listagem de todas as que atingem ou ultrapassam os 1500 m de proeminência, conhecidas como "ultras" (em inglês).
  • Proeminência e orometria estudo teórico detalhado (em inglês).
Ícone de esboço Este artigo sobre geografia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.