David Cooper

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

David G. Cooper (1931 - 1986) foi um psiquiatra sul-africano, notável teórico e líder do movimento anti-psiquiatria, ao lado de R. D. Laing, Thomas Szasz e Michel Foucault.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cooper graduou-se pela Universidade da Cidade do Cabo em 1955. Mudou-se para Londres, onde trabalhou em muitos hospitais e dirigiu uma unidade experimental para jovens esquizofrênicos chamada Villa 21. Em 1965, envolveu-se com Laing e outros médicos e estabeleceu a chamada Philadelphia Association. Um "marxista existencialista", Cooper deixou a Philadelphia Association nos anos 70, em um desacordo sobre o crescente interesse da associação em espiritualismo, em vez de política.

Cooper acreditava que maldade e psicose eram produtos da sociedade e que a sua solução última seria através de uma revolução. Para esta finalidade, viajou à Argentina e sentiu que o país era pleno de potencial revolucionário. Mais tarde, retornou à Inglaterra antes de se mudar para a França, onde passou o resto de sua vida.

Cooper cunhou o termo "anti-psiquiatria" em 1967 para descrever oposição e métodos opostos à psiquiatria ortodoxa da época, embora o termo possa se confundir com a visão ortodoxa da psiquiatria dos anti-psiquiatras (por exemplo, cura anti-psíquica).

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

Seus maiores textos incluem:

  • Reason and Violence: a decade of Sartre's philosophy, Tavistock (1964) – em co-autoria com R. D. Laing
  • Psychiatry and Anti-Psychiatry (Ed.), Paladin (1967)
  • The Dialectics of Liberation (Ed.), Penguin (1968) – A introdução de Cooper pode ser lida no site de Herbert Marcuse.
  • The Death of the Family, Penguin (1971)
  • Grammar of Living, Penguin (1974)
  • The Language of Madness, Penguin (1978)

Ele coordenou o Congresso sobre a Dialética da Libertação, que teve lugar em Londres no The Roundhouse em Chalk Farm, de 15 de Julho a 30 de Julho de 1967. Entre os participantes, estavamm R. D. Laing, Paul Goodman, Allen Ginsberg, Herbert Marcuse e o membro dos Panteras Negras Stokely Carmichael. Jean-Paul Sartre foi agendado para aparecer, mas cancelou no último momento.

Além de ter sido membro-fundador da Associação Filadélfia em Londres, foi diretor do Instituto de Estudos Fenomenológicos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]