Defense Advanced Research Projects Agency

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde maio de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA)
Logotipo
Logotipo
Resumo da agência
Formada 1958
Sede Condado de Arlington, Virgínia, EUA
Empregados 240
Orçamento anual US$ 2,8 bilhões[1]
Executivos da agência Arati Prabhakar, Diretor[2]
Agência mãe Department of Defense
Sítio oficial www.darpa.mil

A DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency, Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa) foi criada em fevereiro de 1958 (como ARPA) por militares e pesquisadores americanos sob a supervisão do presidente Eisenhower, numa reação dos Estados Unidos à vitória tecnológica da então União Soviética com o lançamento do primeiro satélite artificial, o Sputnik 1.

O nome original era apenas ARPA (Advanced Research Projects Agency, Agência de Projetos de Pesquisa Avançada), mas foi alterado para DARPA (de Defesa) em março de 1972. Voltou a ser ARPA novamente em fevereiro de 1993, e depois foi alterado de novo para DARPA em março de 1996.

O objetivo original da agência era manter a superioridade tecnológica dos EUA e alertar contra possíveis avanços tecnológicos de adversários potenciais. Esse objetivo evoluiu com o tempo, e hoje também inclui criar surpresas tecnológicas para os inimigos dos EUA. A agência é independente, com cerca de 240 funcionários e um orçamento de 2,8 bilhões de dólares, e se reporta diretamente ao Departamento de Defesa.[1]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Durante o ano de 1960 os projetos relacionados aos programas espaciais civis foram transferidos para outra agência, a NASA (National Aeronautics and Space Administration, Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço), e os programas espaciais militares para as três forças militares. Isso permitiu que a DARPA se concentrasse nos programas DEFENDER, Vela e AGILE (também transferidos aos militares no final de 1960) e depois em pesquisa e desenvolvimento (P&D) de natureza exclusivamente militar, como programas de energia, processamento de dados e tecnologias táticas.

Havia na época uma grande preocupação da DARPA com relação à segurança nas comunicações em caso de ataque nuclear. Direcionando seus esforços na solução desse problema, a agência (como ARPA) acabou desenvolvendo a ARPANET, precursora da atual Internet.

A partir de 1976 a agência realizou pesquisas sobre blindagem e anti-blindagem, reconhecimento a partir do espaço, lasers anti-mísseis de alta energia, guerra anti-submarina, mísseis de cruzeiro, aeronaves avançadas, integração de circuitos eletrônicos, computação avançada de defesa, propulsão espacial, aviões aeroespacial e hipersônico, mísseis anti-mísseis, tecnologia de submarinos e, mais recentemente, sistemas táticos robotizados, próteses controladas diretamente pelo cérebro e exoesqueletos de aplicação militar.

Em 2014, a agência DARPA com parceria com o governo dos Estados Unidos começarão a fazer testes, com objetivos de adicionar raios laser ao arsenal dos veículos da Marinha e das Forças Armadas do país.

Referências

  1. a b Shachtman, Noah. "Darpa Dodges Obama Budget Death Ray, Keeps Its $2.8 Billion", Wired, 2012-02-14. Página visitada em 2012-08-27.
  2. Shachtman, Noah. "Exclusive: Darpa Gets a New Boss, and Solyndra Is in Her Past", Wired, 2012-07-10. Página visitada em 2012-08-25.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Defense Advanced Research Projects Agency