Edito de Amboise

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Edito de Amboise
Paix d'Amboise
Edito de Pacificação
Paz de Amboise, 1563.
Tipo de tratado Tratado de paz
Assinado 19 de março de 1563
Local Castelo de Amboise, Amboise
Signatários Catarina de Médici
Partes Católicos e huguenotes
Língua Francês

O Edito de Amboise, por vezes conhecido como Edito de Pacificação, foi assinado no Castelo de Amboise em 19 de março de 1563 por Catarina de Médici, atuando como regente de seu filho Carlos IX de França. O tratado terminou oficialmente a primeira fase das Guerras Religiosas Francesas. Além disso, o tratado de paz restaurou a França, garantindo aos huguenotes privilégios religiosos e liberdades.

Embora o Edito não fosse tão generoso como o Édito de Saint-Germain (janeiro de 1562), ele ainda permitiu serviços protestantes abertos e não regulamentados nos domicílios particulares de nobres[1] e, em um subúrbio de uma cidade pré-determinado em cada Baillage ou sénéchaussée.[2]

O Parlamento de Paris, que havia expulsado seus membros huguenotes, resistiu registrar o Edito—como fizeram os parlamentos provinciais—mas capitulou após protestos, acrescentando a ressalva de que o edito podia ter aplicação limitada até que o rei atingisse a maioridade, quando um Conselho nacional decidiria a questão religiosa. Quando o rei anunciou sua maioria (17 de agosto de 1563, pouco depois de seu décimo terceiro aniversário), ele escolheu o Parlamento provincial de Ruão como local inédito de sua lit de justice e publicou ao mesmo tempo uma versão mais completa do edito.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Parte do medo do estabelecimento católico dos calvinistas era como um agente de reformas radicais de base (veja Jonathan Powis, "Order, religion, and the magistrates of a provincial parlement in sixteenth-century France", Archiv für Reformationsgeschichte 81 [1980:180-96]). A família nobre poderia ser assumida a ter uma influência moderadora.
  2. Termos do Edito de Amboise são discutidos em N.M. Sutherland, The Huguenot Struggle for Recognition (New Haven: Yale University Press) 1980:356f.
  3. Holt, Mack P.. The French Wars of Religion, 1562-1629 (em inglês). [S.l.]: Cambridge University Press, 2005. 243 pp. p. 58. ISBN 113944767X

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Goyau, G. (1910). Michael de L'Hospital (em inglês) www.newadvent.org. Robert Appleton Company, New Advent Catholic Encyclopedia. Página visitada em 5 de outubro de 2013.