En passant

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
en passant

En passant (em francês: de passagem) é um movimento especial de captura do Peão no jogo de xadrez. Na ocasião do avanço por duas casas do peão, caso haja um peão adversário na coluna adjacente na quarta fileira para as brancas, ou quinta para as pretas, este pode capturar o peão como se "de passagem", movendo-o para a casa por onde o peão capturado passou sobre. A captura en passant pode ser feita imediatamente após o peão ter sido movido por duas casas, caso contrário o jogador adversário perde o direito de fazê-lo posteriormente.[1] Tal movimento é a única ocasião no xadrez no qual a peça que captura não é movida para a casa ocupada pela peça capturada.[2]

A regra foi adotada no século XV, em conjunto com a regra que permitem aos peões o avanço de duas casas em seu primeiro movimento. A regra previne o avanço de um peão por duas casas sem o risco de ser capturada por outro peão.[3]

História[editar | editar código-fonte]

A permissão da captura en passant foi uma das principais regras alteradas no xadrez entre os séculos XII e XV, junto com a introdução do avanço por duas casas do peão no primeiro movimento, o roque e os movimentos da Dama e Bispo.[4] O espanhol Ruy López de Segura cita a regra em seu livro Libro de la Invención Liberal y Arte del Juego del Axedrez de 1561.[5] Na maioria dos lugares a regra en passant foi adotada em conjunto com o avanço do peão por duas casas mas somente universalmente aceita por volta de 1880, com a adoção das regras italianas.[6] A motivação para criar a captura en passant era evitar que os peões, através do novo movimento de avanço por duas casas, escapassam da captura de um peão adversário.[7]

A regra[editar | editar código-fonte]

Suponha um peão branco em d5, um peão avançado, portanto. Se as pretas jogarem o peão de e7 para e5 (avançando duas casas no primeiro lance do peão), as brancas tem permissão para capturar este peão, colocando seu próprio peão de d5 em e6, e anotando uma captura (e.p.) (abreviatura para en passant). Se, no lugar de ter jogado e5, as negras tivessem jogado c5, com o peão também saindo de sua posição inicial em c7, o peão das brancas também poderia capturar en passant.

A captura en passant é admitida somente imediatamente ao avanço de duas casas do peão adversário, ou seja, se o peão que avançou duas casas de uma vez não for tomado no próximo lance, a tomada en passant deste peão não mais poderá ser realizada, ou seja, a captura en passant não pode ser adiada para os lances subseqüentes.

Exemplo da captura en passant
Pretas jogam
Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 8
7 peão preto em c7 peão preto em e7 7
6 cruz em e6 6
5 peão branco em d5 círculo preto em e5 5
4 4
3 3
2 2
1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
O peão preto está na posição inicial e pode ser movido tanto para e6, onde poderia ser capturado no movimento seguinte, quanto para e5.
Brancas jogam
Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 8
7 peão preto em c7 7
6 cruz em e6 6
5 peão branco em d5 peão preto em e5 5
4 4
3 3
2 2
1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
As pretas movem então o peão para e5, passando por e6.
Pretas jogam
Começo de um tabuleiro de xadrez. a b c d e f g h
8 8
7 peão preto em c7 7
6 peão branco em e6 6
5 5
4 4
3 3
2 2
1 1
a b c d e f g h Fim do tabuleiro de xadrez.
No movimento seguinte, as brancas capturam o peão preto en passant, por ter passado em e6, ao alcance do peão branco.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. FIDE rules (En Passant is rule 3.7, part d)
  2. Burgess (2000), p.463
  3. Hooper (1992), p.124
  4. Davidson (1949), pp.14,16,57
  5. Golombek (1977), p.108
  6. Hooper (1992), pp.124–25
  7. Davidson (1949), p.16

Ligações externas[editar | editar código-fonte]