Feteira (Horta)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
 Portugal Feteira  
—  Freguesia  —
Feteira está localizado em: Açores
Feteira
Localização de Feteira nos Açores
38° 31' 15" N 28° 42' 59" O
País  Portugal
Região Flag of the Azores.svg Açores
Concelho HRT.png Horta
 - Tipo Junta de freguesia
Área
 - Total 14,62 km²
População (2011)
 - Total 1 899
    • Densidade 129,9/km2 
Gentílico: feteirense
Código postal 9900-361 Feteira HRT
Orago Divino Espírito Santo
Correio electrónico juntaf@sapo.pt

Feteira é uma freguesia portuguesa do concelho da Horta, na Ilha do Faial, Região Autónoma dos Açores. Ocupa uma superfíce total de 14,62 km² com 1 899 habitantes (2011). Possui uma densidade populacional de 129,9 hab/km². A freguesia conta com 1 103 eleitores inscritos (Autárquicas 2005).

A sede de freguesia, situa-se na costa Sul da ilha junto ao mar, a cerca de 5 km a Oeste da cidade da Horta. Atravessam a freguesia diversas ribeiras, nomeadamente a Ribeira da Granja e a Ribeira da Feteira, fundamentais ao longo dos séculos para a sobrevivência das populações locais e em especial para a prática da agricultura. Ligam as suas margens 5 pontes: de São Pedro, de Poceirão, da Igreja, de São Pedro (na zona baixa da freguesia) e Ponte Nova. Lajinha e Ponta Furada.

História, Monumentos e Museus[editar | editar código-fonte]

O seu topónimo terá origem no facto de nos seus terrenos se encontrarem repletos de fetos à época do povoamento. Ribeira da Granja orla costeira (Lajinha e Ponta Furada). Sede de freguesia fundada junto ao mar. parte alta.

A Igreja ao Divino Espírito Santo, com o orago ao Divino Espírito Santo, é uma das mais antigas da ilha. Desconhece o ano de sua construção, mas a sua existência é referida pela primeira vez em 30 de Junho de 1568. Gaspar Frutuoso, diz-nos que tinha "3 naves, com 5 colunas, sobre as quais está a armação de madeira e tecto de 2 capelas aos lados direito e esquerdo.

É um templo de boas proporções, tem 35 metros de comprimento, corpo principal dividido em 3 naves. A talha dourada que reveste os altares é bastante singela.

Anteriormente existia, no local, uma capela que vinha do século XV. Tem uma só torre sineira." ("Saudades da Terra", Vol. VI Cap.) Em Setembro de 1597, foi saqueada e incendiada pelos corsários ingleses.

A Ermida de São Pedro, mencionada por Gaspar Frutuoso, era situada no lugar do mesmo nome, perto da Igreja Paróquial. Devido a incúria de quem devia mandar, foi deixada desaparecer. Era local de forte devoção popular e de romaria muito concorrida em dias de festa.

A Costa da Feteira foi vigiada por fortins.

Segundo frei Diogo das Chagas, em 1643, a freguesia do Espírito Santo da Feteira tinha 721 habitantes distribuidos por 171 fogos ("Espelho Cristalino", pág. 478).

Tradições, Festas e Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Além das festividades consagradas ao culto do Divino Espírito Santo, o orago da freguesia, destaca-se a festa de Nossa Senhora de Lourdes. Realiza-se anualmente no último fim-de-semana de Agosto, sendo a festa mais concorrida de toda a freguesia.

As dificuldades económicas e sociais sentidas na ilha, mas também a insatisfação política, estiveram na base de uma sublevação dos feiteirenses, em 1862. Tudo se resolveu a contento e não houve derramamento de sangue. O pagamento de novos impostos estiveram na origem de tamanha contestação.

Economia[editar | editar código-fonte]

A Feteira é uma freguesia essencialmente rural. Documentos de 1886, dão à povoação uma produção anual de batata-doce na ordem dos 200 mil quilos. Mais tarde, a produção de laranjas e de limões tiveram também grande importância, chegando a ser exportados para o estrangeiro.

O milho e o trigo foram igualmente produzidos em grandes quantidades. A actividade pescatória também desempenhou um papel primordial na sua economia. Actualmente, vêm ganhando crescente importância a pecuária (criação de gado bovino e suíno) e a indústria de carnes.

Chegou a possuír uma cooperativa de lacticínios, o que demonstra inequivocamente a importância dessa actividade. Mais recentemente, a plantação de bananeiras já faz parte da mais recente tradição local.

Ver também[editar | editar código-fonte]