Francisco de Vitória

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estátua de Francisco de Vitória, em Vitória
Francisco de Vitoria, Estátua em Salamanca

Francisco de Vitória (Burgos ou Vitória, 1483Salamanca, 12 de agosto de 1546) foi um teólogo espanhol neo-escolástico e um dos fundadores da tradição filosófica da chamada "Escola de Salamanca", sendo também conhecido por suas contribuições para a teoria da Guerra Justa e como um dos criadores do moderno direito internacional.

Entrou na Ordem dos Pregadores em 1504. A dignidade e os problemas morais da condição humana forma o cerne em torno do qual se desenvolveu toda a sua obra filosófica. Foi especialmente influente pelas suas implicações jurídicas, ainda que igualmente na teologia e sobre aspectos morais da economia. Não escreveu pessoalmente todas as suas obras, pois que algumas delas resultaram apenas de apontamentos tomados pelos seus alunos, e que passaram a circular sob a forma de sebentas.

Dedicou sua vida tardia ao ensino, tendo como residência Salamanca. Seus ensinamentos e métodos pedagógicos influenciaram direta ou indiretamente um grande número de teólogos, juristas e universitários como Melchor Cano, Domingo BáñezDomingo de Soto, Francisco Suárez, Roberto Bellarmino entre outros, no que se chamou a "Escola de Salamanca".

No Brasil, teve publicada a obra "Os Índios e o Direito da Guerra" (Unijuí, coleção "Clássicos do Direito Internacional", 2006).

Obras[editar | editar código-fonte]

  • De potestate civili, 1528
  • Del Homicidio, 1530
  • De matrimonio, 1531
  • De potestate ecclesiae I e II, 1532
  • De Indis, 1532
  • De Jure belli Hispanorum in barbaros, 1532
  • De potestate papae et concilii, 1534
  • Relectiones Theologicae, 1557
  • Summa sacramentorum Ecclesiae, 1561

Vide também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.