Frossos (Braga)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Portugal Frossos  
—  freguesia portuguesa extinta  —
Igreja de Frossos
Igreja de Frossos
Frossos-loc.png
Frossos está localizado em: Portugal Continental
Frossos
Localização de Frossos em Portugal Continental
41° 34' N 8° 27' 07" O
Concelho primitivo Braga
Concelho (s) atual (is) Braga
Freguesia (s) atual (is) Merelim (São Pedro) e Frossos
Extinção 28 de janeiro de 2013
Área
 - Total 1,40 km²
População (2011)
 - Total 1 806
    • Densidade 1 290/km2 

Frossos foi uma freguesia portuguesa do concelho de Braga, com 1,3 km² de área e 1 806 habitantes (2011)[1] . Densidade: 1 389,2 hab/km².

Foi extinta em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, tendo sido agregada à freguesia de São Pedro de Merelim, para formar uma nova freguesia denominada União das Freguesias de Merelim (São Pedro) e Frossos com a sede em São Pedro de Merelim.[2]

Demografia[editar | editar código-fonte]

               Evolução da População Entre 1864 e 2011                 

Evolução da  População  1864 / 2011; Variação da População  1864 / 2011;

                 Os Grupos Etários Em 2001 e 2011                   

A População em 2001; A População em 2011

História[editar | editar código-fonte]

Frossos é uma das mais antigas freguesias do concelho. Aparece referenciada em documentos escritos desde o ano 911, então nos limites do bispado de Dume.

O 'Liber Fidei' menciona a igreja de S. Salvador, da Virgem Maria, de St.º António e de S. Miguel Angelo na 'Vila de Forozos'.

A partir do século XIII começa a figurar como 'Paróquia de S. Miguel de Forozos'. Esta terra 'Froços' é citada nas inquirições de 1220, 1258, 1290, 1320, 1371 e 1528.

Frossos foi sede do sindicato dos tachinhas ou tacheiros, homens que se dedicavam ao fabrico manual ou mecânico das tachinhas, uma espécie de pregos muito usados para reforço das botas militares e de outro tipo de calçado como as tamancas. Embora já extinta, esta actividade marcou a imagem da localidade há algumas décadas atrás, chegando mesmo a ser a principal ocupação dos homens da terra.

Património[editar | editar código-fonte]

Ao nível do património local, destaca-se a singularidade do Cruzeiro do Sr. da Chousa, datado do século XVI, em cujo capitel aparece a inscrição do Sr.º do Bonfim, com uma caveira e duas tíbias cruzadas, simbologia frequente nos cemitérios.

Referência ainda para a Casa do Feital, residência do século XVIII foi inicialmente um pavilhão de caça de D. João Pereira Forjaz Coutinho, casado com a herdeira do Palácio dos Biscainhos, em Braga, e de Bertiandos, em Ponte de Lima. Uma quarta neta deste casal casou com D. Pedro Maria Saldanha Henriques, filho dos Condes das Alcáçovas, em cuja descendência se manteve esta casa.

Referências

  1. População residente, segundo a dimensão dos lugares, população isolada, embarcada, corpo diplomático e sexo, por idade (ano a ano) (em português) Instituto Nacional de Estatística. Página visitada em 6 de Março de 2014. Cópia arquivada em 4 de Dezembro de 2013. "Informação no separador "Q601_Norte""
  2. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganização administrativa do território das freguesias). Acedido a 2 de fevereiro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

http://obemdado.blogspot.com/ Blog do já extinto "Grupo Recreativo Os Bem Dados" que durante os anos 80 e 90 movimentaram culturalmente a sua freguesia

Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.