Gastornis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma caixa taxonómicaGastornis
Ocorrência: Paleoceno - Eoceno 56–40 Ma
Gastornis giganteus no National Museum of Natural History

Gastornis giganteus no National Museum of Natural History
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem:  ?Gastornithiformes
Família: Gastornithidae
Género: Gastornis
Hébert, 1855
Espécie-tipo
Gastornis parisiensis
Hébert, 1855
Espécies
  • Gastornis parisiensis Hébert, 1855
  • Gastornis giganteus (Cope, 1876)
  • Gastornis ajax (Shufeldt, 1913)
  • Gastornis sarasini (Schaub, 1929)
  • Gastornis russeli Martin, 1992
Sinónimos
  • Barornis Marsh, 1894
  • Diatryma Cope, 1876
  • Omorhamphus Sinclair, 1928

Gastornis é um gênero de aves fósseis sem capacidade de voo que ocorreu no Paleoceno Superior e Eoceno Médio da Europa e América do norte.

Nomenclatura e taxonomia[editar | editar código-fonte]

O gênero foi cunhado por Edmond Hébert, em 1855, em homenagem a Gaston Planté, que encontrou o primeiro fóssil no mesmo ano nas proximidades de Paris.[1] Edward Drinker Cope cunhou o gênero Diatryma em 1876 para o material encontrado nos Estados Unidos,[2] entretanto, análises posteriores consideraram-no como sinônimo de Gastornis.[3] [4] Outros gêneros foram criados para fósseis da América do Norte, Othniel Charles Marsh criou o Barornis em 1894,[5] sinonimizado com o Diatryma,[6] e Sinclair o Omorhamphus em 1928,[7] sinonimizado com o Diatryma.[8]

Espécies[editar | editar código-fonte]

Quatro a cinco espécies são reconhecidas:

  • Gastornis parisiensis descrita por Edmond Hébert em 1855 com base em material fóssil descoberto em Meudon, formação Meudon, França.[1]
  • Gastornis sarasini descrita por Samuel Schaub em 1929 como Diatryma sarasini com base em material fóssil encontrado em Monthelon, França.[9]
  • Gastornis russeli descrita por Larry Martin em 1992 com base em material fóssil encontrado no Monte Berru, formação Cernay, França.[10]
  • Gastornis giganteus descrita por Edward Drinker Cope em 1876 como Diatryma giganteus com base em material fóssil encontrado no Novo México.[2]
  • Gastornis ajax descrita por Robert Wilson Shufeldt em 1913 como Diatryma ajax com base em material fóssil encontrado em Clark's Fork Basin, formação Wasatch, Wyoming.[11]
Crânio de G. giganteus no Smithsonian Museum of Natural History.

Outras espécies descritas consideradas como sinônimos:

  • Gastornis edwardsii descrita por Lemoine em 1878 com base em material fóssil encontrado em Cernay-les-Reims, formação Cernya, França.[12] Considerado sinônimo de G. parisiensis.[10]
  • Gastornis klaasseni descrita por Newton em 1885 com base em material fóssil encontrado em Croydon, Inglaterra.[13] Considerado sinônimo de G. parisiensis.[10]
  • Diatryma geiselensis descrita por Fisher em 1978 com base em material fóssil encontrado em Geiseltal, Alemanha.[14] Considerado sinônimo de G. sarisini.[4]
  • Barornis regens descrita por Othniel Charles Marsh em 1894 com base em material fóssil encontrado em Nova Jersey.[5] Considerado um nomen dubium[6] ou então sinônimo de G. giganteus.[15]
  • Diatryma steini descrita por Matthew e Granger em 1917 com base em material fóssil encontrado em South Elk Creek, formação Willwood, Wyoming.[6] Considerado sinônimo de Gastornis giganteus.[15] [8]
  • Omorhamphus storchii descrito por Sinclair em 1928 com base em material fóssil encontrado em Dorsey Creek, formação Willwood, Wyoming.[7] Considerado sinônimo de Gastornis giganteus.[8]

Distribuição[editar | editar código-fonte]

O gênero está distribuído do Paleoceno Superior ao Eoceno Médio da França, Bélgica, Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos (Novo México, Wyoming e Colorado).[4] Restos fósseis atribuídos a este gênero também foram encontrados na ilha Ellesmere.[16]

Descrição[editar | editar código-fonte]

G. giganteus atingia 2,2 metros de altura, sendo que o seu crânio chegava aos 70 centímetros, enquanto que G. sarasini media em torno de 1,75 metros de altura.[quem?]

Paleobiologia[editar | editar código-fonte]

Alimentava-se principalmente de pequenos mamíferos, os quais abatia com golpes de seus fortes pés ou do afiado bico.[quem?]

Referências

  1. a b HÉBERT, E.. (1855). "Note sur le tibia du Gastornis parisiensis". C.R.Acad.Sc.Paris 40: 579-582.
  2. a b COPE, E.D.. (1876). "On a gigantic bird from the Eocene of New Mexico". Proceedings of the Academy of Natural Sciences of Philadelphia 28: 10-11.
  3. BUFFETAUT, E.. (1997a). "New remains of the giant bird Gastornis from the Upper Paleocene of the eastern Paris Basin and the relationships between Gastornis and Diatryma". Neues Jahrbuch für Geologie und Paläontologie, Monatshefte (3): 179-190.
  4. a b c MLIKOVSKY, J.. Cenozoic Birds of the World - Part 1: Europe. Praga: Ninox Press, 2002. 417 pp.
  5. a b MARSH, O.C.. (1894). "A gigantic bird from the Eocene of New Jersey". American Journal of Science and Arts 48 (3): 344.
  6. a b c MATTHEW, W.D.; GRANGER, W.. (1917). "The skeleton of Diatryma, a gigantic bird from the Lower Eocene of Wyoming". Bulletin of the American Museum of Natural History 37 (11): 307-326.
  7. a b SINCLAIR, W.J.. (1928). "Omorhamphus, a new flightless bird from the Lower Eocene of Wyoming". Proceedings of the American Philosophical Society 67 (1): 51-65.
  8. a b c WITMER, L.M.; ROSE, K.D.. (1991). "Biomechanics of the jaw apparatus of the gigantic Eocene bird Diatryma: implications for diet and mode of life". Paleobiology 17 (2): 95-120.
  9. SCHAUB, S.. (1929). "Über eocäne Ratitenreste in der osteologischen Sammlung des Basler Museums". Verh Naturforsch Ges Basel 40: 588–598.
  10. a b c MARTIN, L.D.. (1992). "The status of the Late Paleocene birds Gastornis and Remiornis". Natural History Museum of Los Angeles County (Sciences series) 36: 97-108.
  11. SHUFELDT, R.W.. (1913). "Further studies of fossil birds with descriptions of new and extinct species". Bulletin of the American Mmuseum of Natural History 32.
  12. LEMOINE, V.. Recherches sur les oiseaux fossiles des terrains tertiaires inférieurs des environs de Reims. Reims: Keller, 1878. 69 pp.
  13. NEWTON, E.T.. (1885). "Gastornis klaasseni Newton, a gigantic bird from the Lower Eocene of Croydon". Geological Magazine 3: 362-363.
  14. FISCHER, K.. (1978). "Neue Reste des Riesenlaufvogels Diatryma aus dem Eozän des Geiseltales bei Halle (DDR)". Ann. Ornithol. 2: 133-144.
  15. a b BRODKORB, P.. (1967). "Catalogue of fossil birds. part 3". Bulletin of the Florida State Museum - Biological Series 2 (3): 1-126.
  16. WEST, R.M.; DAWSON, M.R.. (1978). "Vertebrate paleontology and the Cenozoic history of the North Atlantic region". Polarforschung 48: 103-119.
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Gastornis
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Gastornis
Ícone de esboço Este artigo sobre Aves, integrado no Projeto Aves é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.