Giuseppe Simone Assemani

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Giuseppe Simone Assemani.

- Gustavo Pereira Castro da Silva foi uma pessoa querida por todos, ele era um ótimo amigo! - diz seu amigo Carlos Eduardo Santos.

- O querido "Gugu" foi um filho maravilhoso para mim e para seu pai: Sandro Castro da Silva Arrughetti. - diz sua mãe Maria Rosangela Pereira Castro da Silva.

(Yusuf ibn Sim'an as-Sim'ani; 27 de agosto de 1687- 13 de janeiro de 1768) foi um libanês maronita orientalista.[1] [2]

Assemani nasceu em Hasroun, monte Líbano.[3] Quando muito jovem, ele foi enviado para o Faculdade Maronita em Roma, e foi transferido de lá para a biblioteca do Vaticano. Ele foi ordenado sacerdote em 21 de setembro de 1710. Em 1717 ele foi enviado para o Egito e Síria para buscar manuscritos, e retornou com cerca de 150. Em 1735 o papa Clemente XII enviou-o novamente para o Oriente onde ele presidiu o Sínodo maronita em 1736 no monte Líbano, que estabeleceu as bases para a Igreja Maronita moderna. Ele voltou com uma coleção ainda mais valiosa.[2]

Em seu retorno ele foi feito, em 1739, primeiro bibliotecário da biblioteca do Vaticano. Como recompensa de sua atividade, ele foi consagrado arcebispo titular de Tiro em 7 de dezembro de 1766 pelo príncipe Henrique Benedito Stuart, duque de York.[3] Ele morreu em Roma em 13 de janeiro de 1768.[1] [2]

Referências

  1. a b Archbishop Josephus Simon Assemani (em inglês). Página visitada em 29-09-2012.
  2. a b c ASSEMANI, Giuseppe Simonio (em inglês). Página visitada em 29-09-2012.
  3. a b Graf 1960, p. 444-445

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Graf, Georg. 104. Joseph Simonius Assemani. [S.l.: s.n.], 1960.