Golfo Zuiderzee

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde agosto de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Mapa dos Países Baixos (1658) com De Zuyder Zee no canto inferior esquerdo do quadrante superior direito.
Imagem de satélite.
Portal A Wikipédia possui o
Portal dos Países Baixos

Zuiderzee (pronouncia-se [ˈzaɪdə(r) zeɪ] em neerlandês) é um golfo de 5 000 km² formado pelas águas do mar do Norte no centro-norte dos Países Baixos.

História[editar | editar código-fonte]

No século I, era mistura de planície e lagos de água doce, ligados ao mar por um dos braços do rio Reno. Mais tarde, entre os anos 250 e 600, o nível do mar elevou-se e, com isso, o rio e o lago principal alargaram-se. Esse trecho separava-se do mar do Norte por bancos de areia que são agora as ilhas Frísias. Por volta do ano 400, os habitantes das ilhas construíram os primeiros diques e os terpen ou werden, colinas onde se refugiavam quando as águas se elevavam. Seguiu-se um período em que houve o fenômeno oposto - baixa no nível do mar -, mas, no século XIII, enchentes inundaram vastas áreas e criaram o Zuiderzee propriamente dito.

À volta do Zuiderzee, cresceram muitas vilas de pescadores e algumas tornaram-se cidades fortificadas onde habitavam mercadores com extensas relações de comércio, em particular com cidades como Amesterdão, Hoorn e Enkhuizen. Estas cidades comerciavam inicialmente com portos no mar Báltico, com a Inglaterra e na liga Hanseática, mas mais tarde também com o resto do mundo, quando os Países Baixos estabeleceram o seu império colonial. Com o declínio deste, muitas das localidades voltaram a tornar-se dependentes da pesca e indústrias relacionadas, até que, no século XX, o turismo se tornou fonte maior de rendimento.

Com o objetivo de recuperar as terras do Zuiderzee iniciou-se, em 1916, a sua dessecação. Foi erguido um dique com trinta quilômetros, o Afsluitdijk, que dividiu o Zuiderzee no Waddenzee e no IJsselmeer como resposta às gigantescas cheias de Janeiro de 1916. Na década de 1980, metade deste já era aproveitado para agricultura, graças a um sistema de estações de bombeamento, diques e comportas.

As áreas agora emersas são designadas pôlderes. As águas do Zuiderzee se tornaram doces e já se completaram quatro dos cinco pôlderes planejados, que totalizarão 2 000 km².

Geografia[editar | editar código-fonte]

No Zuiderzee, há quatro pequenas ilhas, restos do que foram ilhas maiores ou penínsulas ligadas ao continente europeu: Wieringen, Urk, Schokland e Marken. Todas essas ilhas estão agora ligadas por terra com o resto dos Países Baixos.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]