Harry Patch

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Harry Patch aos 109 anos

Henry John "Harry" Patch (Somerset, Inglaterra, 17 de junho de 189825 de julho de 2009) foi um supercentenário britânico que combateu na Primeira Guerra Mundial (1914-1918) e que, ao falecer aos 111 anos, era o mais velho dos últimos veteranos ainda vivos e o último que lutou nas trincheiras do conflito.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Harry Patch nasceu em Combe Down, um vilarejo de Somerset, na Inglaterra. No censo de 1901, constava que seus pais se chamavam William e Elizabeth e que tinha dois irmãos, George e William.

Antes da Primeira Guerra Mundial, trabalhou como aprendiz de encanador.

Primeira Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 1916, Patch ingressou na Infantaria do Duque da Cornualha e participou da Batalha de Passchendaele, ocorrida na Bélgica em 1917.

Pós-Primeira Guerra[editar | editar código-fonte]

Após o fim da Grande Guerra, voltou a seu trabalho de encanador.

Posteriormente, trabalhou alguns anos em Bristol e, durante a Segunda Guerra Mundial, tornou-se bombeiro.

Últimos anos[editar | editar código-fonte]

Harry Patch vivia na cidade de Wells, na Inglaterra, e, quando da sua morte, era o homem mais velho do Reino Unido e o terceiro mais velho do mundo.

Patch era o último veterano ainda vivo que combateu nas trincheiras da Grande Guerra e, também, o último sobrevivente da Batalha de Passchendaele.

Em novembro de 2004, aos 106 anos, encontrou Charles Kuentz (1897-2005), um veterano com 107 anos à época que havia lutado pelo Império Alemão na mesma batalha que ele. Patch disse: "Estava um pouco duvidoso de encontrar um soldado alemão. No entanto, Kuentz é um grande homem. Ele é todo por uma Europa unida e em paz - e assim sou eu."

Em agosto de 2007, aos 109 anos, publicou sua auto-biografia - "The Last Fighting Tommy" (algo como "O Último Guerreiro Tommy") -, o que fez dele o autor mais velho de todos os tempos.

Em fevereiro de 2008, o poeta laureado Andrew Motion escreveu um poema em sua homenagem.

Em 11 de novembro de 2008, Harry Patch participou, em Londres, ao lado de outros dois veteranos ingleses - Henry Allingham e Bill Stone - da cerimônia de celebração de 90 anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Com a morte de Allingham em 18 de julho de 2009, passou a ser o veterano mais velho.

Antes de morrer, viveu em um lar para idosos.

Morte[editar | editar código-fonte]

Harry Patch faleceu no dia 25 de julho de 2009, aos 111 anos. Com a sua morte, restou ao britânico Claude Stanley Choules a honraria que ser o último combatente do conflito mundial ocorrido no início de século XX (Claude faleceu em maio de 2011)1 .

Prêmios, condecorações e medalhas de guerra[editar | editar código-fonte]

  • Ordem de Leopoldo (Bélgica)
  • Legião de Honra (França)
  • Medalha de Guerra Britânica
  • Medalha da Vitória
  • Medalha da Defesa 1939-45
  • Medalha do Serviço Nacional (Reino Unido)
  • Hors de combat
  • Liberdade da Cidade de Wells (Reino Unido)
  • Mestre Honorário de Artes em Bristol (Inglaterra)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Último combatente da Primeira Guerra Mundial morre aos 110 anos Folha.com - edição de 4 de abril de 2011