Henry Allingham

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Henry Allingham no Museu Imperial de Guerra em 2006

Henry William Allingham (Londres, Inglaterra, 6 de junho de 1896 - Brighton, 18 de julho de 2009[1] ) foi um supercentenário britânico que, ao falecer aos 113 anos e 42 dias, era considerado o homem mais velho do mundo e, também, o mais longevo dos últimos veteranos da Primeira Guerra Mundial (1914-1918).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Henry Allingham na infância

Henry tinha apenas 14 meses quando seu pai faleceu. Foi criado por sua mãe e por seus avós.

A rainha Vitória (1819-1901) ainda era a soberana do Reino Unido quando ele tinha 4 anos e meio.

Allingham lembrava de ter visto um jogo de críquete entre 1903 e 1905.

Primeira Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Henry Allingham em 1916

Allingham desejava unir-se ao exército em agosto de 1914, mas sua mãe o convenceu a permanecer em casa. Após a morte da mãe, alistou-se no RNAS (Serviço Aeronaval Real). Em 21 de setembro de 1915 foi elevado a Mecânico Aéreo de Segunda Classe, com o número RNAS F8317. Foi transferido do RNAS para a Royal Air Force (Força Aérea Real), quando o primeiro se uniu a RFC (Royal Flying Corps). Também recebeu um novo número: RNAS F208317.

Participou da Batalha da Jutlândia, a maior batalha naval do conflito.

Mais tarde, uniu-se a Ford Motor Company, onde permaneceria até seu regresso ao serviço militar.

Segunda Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Durante a II Guerra Mundial, participou em numerosos projetos. Talvez o mais importante tenha sido a contagem e medida das minas magnéticas alemãs. No Natal de 1939, foi chamado para ajudar na elaboração de um plano que neutralizasse as minas e abrisse o porto de Harwich. Nove dias depois, essa missão foi concluída com sucesso.

Pós-Segunda Guerra Mundial e últimos anos[editar | editar código-fonte]

  • Em 6 de junho de 1996, Henry Allingham completou um centenário de vida.
  • Em 1 de novembro de 2007, após a morte de George Frederick Ives, tornou-se a pessoa mais velha que integrou as Forças Armadas Britânicas.
  • Em 13 de fevereiro de 2007 se tornou o homem e a segunda pessoa mais longeva nascida na Grã-Bretanha, (depois de Florrie Baldwin) após a morte de Aida Mason.
  • Em 11 de novembro de 2008, ao lado dos também veteranos Harry Patch e Bill Stone, participou em Londres da cerimônia de celebração de 90 anos do fim da Primeira Guerra Mundial.
  • Tornou-se o homem mais velho do mundo, após a morte de Tomoji Tanabe, em 19 de junho de 2009. Viveu os últimos dias da sua vida em Brighton, na Inglaterra.

Família[editar | editar código-fonte]

Henry Allingham se casou com Dorothy Cater em 1919, um ano depois do fim da Primeira Guerra Mundial. Com ela teve 2 filhas, Jean e Betty Allingham (ambas falecidas na década de 1980). Em 1972, após 53 anos de matrimônio, enviuvou. Allingham possuía 5 netos, 12 bisnetos, 14 trinetos (tataranetos) e 1 tetraneto (duas vezes tataraneto).

Prêmios, títulos e medalhas de Guerra[editar | editar código-fonte]

  • Liberdade da Cidade de Eastbourne
  • Liberdade da Cidade de Saint-Omer
  • Legião de Honra
  • Medalha de Guerra Britânica
  • Medalha da Vitória
  • Medalha Dourada de Saint-Omer
  • Doutor em Engenharia pela Universidade Southampton Solent

Reconhecimentos por sua idade[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Tomoji Tanabe
Homem mais velho do mundo
19 de Junho de 200918 de Julho de 2009
Sucedido por
Walter Breuning