Household Words

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Capa do volume II,
de 28 de setembro de 1850
a 22 de março de 1851
Editor Charles Dickens
Frequência mensalmente:
Editora Bradbury & Evans
Categoria literária
País Inglaterra
Idioma inglês
Primeira edição 27 de março de 1850
Última edição 28 de maio de 1859

Household Words foi uma revista semanal inglesa editada por Charles Dickens na década de 1850, que teve seu nome tirado de uma frase da obra Henrique V de William Shakespeare - "Familiar na sua boca como palavras caseiras" (em inglês: Familiar in his mouth as household words).

História[editar | editar código-fonte]

A Household Words foi publicada toda quarta-feira de março de 1850 até maio de 1859. Cada número custava apenas dois pence, atingindo assim um grande público. A primeira edição da publicação trouxe uma seção cobrindo os princípios da revista, intitulado "Uma Palavra Preliminar":

Teoricamente, o jornal defendeu a causa dos pobres e das classes trabalhadoras, mas na verdade dirigiu-se quase que exclusivamente à classe média. Somente o nome de Dickens, o "condutor" da revista apareceu. Os artigos não eram assinados (embora os autores de romances serializados fossem identificados) e, apesar de sua regularidade apresentava um "anunciante", sem ilustração.

A fim de impulsionar as vendas em queda Dickens serializou o seu próprio romance, Hard Times, semanalmente entre 1 de abril e 12 de agosto de 1854. Teve o efeito desejado mais do que duplicando a circulação da revista e incentivando o autor que observou que ele era, "Três partes louco, e a quarta delirante, com perpétuo compromisso em Hard Times".

Uma vez que Dickens possuía a metade da empresa e seus sócios, Forster e Wills, dividiam entre si a outra metade, era certo que o autor tinha liberdade para escrever o que quisesse na revista. Em 1859, porém, devido a uma disputa entre Dickens e os editores, Bradbury e Evans, a revista foi substituída pela All the Year Round da qual ele detinha um maior controle.

A revista continha uma mistura de ficção e não ficção. Uma grande quantidade de não ficção tratava de questões sociais da época.

Obras serializadas[editar | editar código-fonte]

Os trabalhos de destaque que foram serializados em Household Words foram:

Trabalhos colaborativos[editar | editar código-fonte]

Dickens também colaborou com outras equipes de escritores um número de histórias natalinas e peças teatrais para edições sazonais da revista. Entre elas estão:

  • The Seven Poor Travellers no Número Extra de Natal (14 de dezembro de 1854) com Wilkie Collins, Eliza Lynn Linton, Adelaide Anne Procter (sob o pseudônimo de "Mary Berwick"), e George Augustus Henry Sala.
  • The Holly Tree Inn no Número Extra de Natal (15 de dezembro de 1855) com Wilkie Collins, William Howitt, Harriet Parr, e Adelaide Anne Procter.
  • The Wreck of the Golden Mary no Número Extra de Natal (6 de dezembro de 1856) com Wilkie Collins, Percy Hetherington Fitzgerald, Adelaide Anne Procter, Harriet Parr, e o reverendo James White.
  • The Frozen Deep uma peça teatral escrita com Wilkie Collins e, inicialmente apresentada na adaptada sala de aula da residência de Dickens em Londres, Tavistock House (6 de janeiro de 1857)
  • The Lazy Tour of Two Idle Apprentices uma colaboração não sazonal (3-31 de outubro de 1857) com Wilkie Collins
  • The Perils of Certain English Prisoners no Número Extra de Natal (7 de dezembro de 1857) com Wilkie Collins
  • A House to Let no Número Extra de Natal (7 de dezembro de 1858) com Elizabeth Gaskell e Adelaide Anne Procter.

Entre outros colaboradores da Household Words está o autor James Payn.

Uma lista completa de quem escreveu o quê e por quanto tempo na Household Words foi compilada em 1973 por Anne Lohrli, através de uma análise do livro contábil do escritório mantido pelo subeditor de Dickens, W. H. Wills.

Referências

  • Lohrli, Anne. Household Words: A Weekly Journal 1850-1859. Toronto: University of Toronto Press, 1973.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]