Igreja Confessante

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Igreja Confessante ou Igreja Confessional (Alemão: Bekennende Kirche) foi um movimento cristão minoritário1 de resistência ao Partido Nazista na Alemanha.

Em 1933 o Gleichschaltung forçou as Igrejas Protestantes a entrarem para a Igreja Protestante do Reich e apoiar a ideologia Nazista. A Igreja Confessante foi criada em setembro do mesmo ano como um grupo clandestino da resistência alemã. Em 1934 a Declaração Teológica de Barmen, escrita primariamente por Karl Barth com o apoio de outros pastores e congregações da Igreja Confessante, foi ratificada no Sínodo de Barmen, reafirmando que a Igreja Protestante Alemã não era um órgão do Estado, com o propósito de reforçar o Nazismo, mas um grupo sujeito apenas a Jesus Cristo e seu Evangelho.

No mesmo ano o Pastor luterano Martin Niemöller tornou-se líder da Igreja Confessional, motivo pelo qual seria preso, julgado e posteriormente mandado para um campo de concentração. Simultaneamente a Igreja Confessante teve seus bens confiscados,1 bem como a prisão de diversos de seus pastores, assim como outras medidas tomadas pelos nazistas, acarretou no fechamento da igreja.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Ascensão e queda do Terceiro Reich - Triunfo e Consolidação 1933-1939. Volume I. William L. Shirer. Tradução de Pedro Pomar. Agir Editora Ldta., 2008. ISBN 978-85-220-0913-8
Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.