Jardim Santo André

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Jardim Santo André é um bairro do distrito de São Rafael na cidade de São Paulo.

História[editar | editar código-fonte]

Fundado no dia 11 de março de 1966, no começo era composto por dois loteamentos que somavam 1549 lotes sendo 38 ruas oficias. O nome do bairro foi dado pelo Doutor Antônio Fausto, que loteou o terreno na época, em homenagem à cidade de Santo André.

No começo havia apenas sete casas, era uma vila. Com o tempo trabalhadores de fábricas do ABC Paulista tiveram interesse em comprar terrenos naquele local para poderem morar e assim ficar mais perto de suas fábricas. A partir daí, o bairro foi ganhando moradores e recebendo várias melhorias, especialmente a partir da década de 70 com a primeira escola do bairro e na década de 80 quando foi criado o comércio local, especialmente com as feiras livres.

Atualmente[editar | editar código-fonte]

Atualmente, o Jardim Santo André sofreu uma série de mudanças.

Estima-se que haja na região de 100 a 660 mil moradores.

As principais avenidas são Miguel Ferreira de Melo e Sertanistas.

Conta com 7 linhas de ônibus que ligam ao Terminal São Mateus, Metrô Itaquera, Metrô Carrão a São Mateus e também ao Terminal Parque Dom Pedro II. Conta também com várias escolas públicas e particulares e posto de saúde.

O bairro também é subdividido em outras áreas como Parque das Flores e o Morro do Sabão.

Parque das Flores e Morro do Sabão[editar | editar código-fonte]

São as duas areas mais carentes do Jardim Santo André.

Elas ficam ao sul do bairro. A parte mais baixa é denominada Parque das Flores e atualmente conta com uma escola que trouxe vários benefícios para a região. A parte mais alta é denominada Morro do Sabão, em referência, segundo o imaginário popular, a uma área antes ocupada por árvores e animais como cobras, sapos e lagartos.

Porém, com o passar do tempo, várias pessoas sem condições financeiras se apossaram das terras do morro. A ocupação foi legalizada pelo prefeito Celso Pitta. A partir de então, houve o avanço do desmatamento, deixando o solo sensível. Quando chovia a terra ficava lisa, daí outra versão para o Morro do Sabão. Diversas ruas do local foram asfaltadas, sanando parte do problema da infraestrutura do bairro. Outro avanço teria sido a extensão do saneamento básico e fornecimento de energia elétrica. Na sua formação inicial, o Morro do Sabão era suprido apenas por um transformador de energia e com isso ocorriam várias quedas de energia.

Vista do Morro do Cruzeiro.

Morro do Cruzeiro[editar | editar código-fonte]

É uma área da Mata Atlântica que pertence à cidade de São Paulo e localiza-se entre os bairros São Mateus e Cidade Tiradentes, na divisa com o município de Mauá.

O ponto mais alto fica no Jardim Santo André com cerca de 990 metros de altitude sendo o segundo ponto mais alto de São Paulo, atrás apenas do Pico do Jaraguá. É visível em várias áreas da zona leste e altitude também possibilita a observação de toda a Zona Leste e partes das outras áreas de São Paulo e ABC.

É nessa região que abrange as cabeceiras dos rios Aricanduva e Itaquera.

Conta-se que um avião caiu no Morro do Cruzeiro, antes do nome. Um dos passageiros era um padre. Em homenagem às vítimas e ao padre, foram colocadas várias cruzes, o que acabou dando nome ao lugar. A lenda ainda detalha que as cruzes somem, pois seria buscadas pelo padre e levadas ao céu.

1° de Maio[editar | editar código-fonte]

O bairro também conta com clubes de futebol que sempre reúnem-se para jogar no Campo do Cruzeirinho aos domingos. O mais famoso é o 1° de Maio, fundado em 1975, que chegou a ser o melhor time de São Mateus e participou do Desafio ao Galo. E até a atualidade ainda existe,com jogadores que participam a muitos anos do clube,hoje claro como diretores,alguns até jogam no time veterano,que são jogadores acima dos seus trinta anos de idade,exemplos como o de Gilberto(Giba),Baiano,Zezé,dentro outros que fazem parte da história do clube. Além disso,o clube tem participações em alguns campeonatos de nome como a Copa Kaiser.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]