Jean Baptiste de Willermoz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde junho de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde junho de 2009). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.

Jean Baptiste de Willermoz (Lyon, 10 de setembro de 1730 — Lyon, 20 de maio de 1824) foi um maçom.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filho de Claude e Caterin Willermoz, comerciante da cidade. Devido as necessidades da família foi obrigado a deixar os estudos aos 12 anos de idade para ajudar o pai nos negócios, três anos mais tarde ingressou como aprendiz numa loja especializada em comércio de seda.

Tendo aprendido a profissão, instalou-se, aos 24 anos, por conta própria, produzindo e comercializando sedas. Havia sido iniciado na maçonaria aos 20 anos de idade, dois anos depois já era venerável da loja, no ano seguinte, 1753, fundou sua própria Loja Maçônica, A PERFEITA AMIZADE, a qual teve um rápido desenvolvimento realizando estudos ocultistas e principalmente a alquimia.

Willermoz permaneceu venerável dessa Loja durante oito anos, dedicava parte de seus recursos a obras de caridade junto à comunidade, para o profano, era tido como um homem sério, honesto, enriquecido pelo trabalho com o comércio de sedas, cristão e frequentador da igreja; pelos seus discípulos era admirado pela sua cordialidade e pela grande dedicação aos trabalho maçônicos.

Na própria família, outros membros se interessavam pelo ocultismo: sua irmã mais velha, Claudine, seus irmãos Antoine e Pierre-Jaques, seu sobrinho Jean Baptiste Willermoz Neveu.

Ocultismo[editar | editar código-fonte]

No meio ocultista era admirado pela solidez de seus conhecimentos que eram praticados juntamente com um pequeno grupo de esoteristas, escolhidos criteriosamente no seio da maçonaria.

Durante muito tempo Willermoz manteve correspondência com os principais ocultistas de sua época: Martinez de Pasqually, Saint Martin, Joseph de Maistre, Savallete de Lange, Brunswick, Saint German, Cagliostro, Dom Pernety, Salzman e outros ocultistas alemães, franceses, ingleses, italianos, dinamarqueses, suecos e russos.

Maçonaria[editar | editar código-fonte]

Em 21 de Novembro de 1756, sua Loja filiou-se ao Grande Oriente da França, com a evolução dos trabalhos, Willermoz fundou uma obediência, composta por 3 lojas, tornou-se o primeiro Grão-Mestre das Lojas Regulares de Lyon. Em 1760 as 3 lojas contavam com 62 membros: A PERFEITA AMIZADE: 30 membros, OS VERDADEIROS AMIGOS: 12 membros, A AMIZADE: 20 membros. Foi eleito presidente da Grande Loja dos Mestres Regulares de Lyon, em 4 de maio de 1760, o irmão grandon, recebeu o Conde Grandon, recebeu o Conde Clemont, recebeu o reconhecimento da Grande Loja da França e também o direito de ocultar os Altos Graus Escoceses.

Após sua morte subsistiram Lojas de seu sistema trabalhando com êxito em toda a França, Itália e Alemanha.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Sociedade Das Ciências Antigas