João Perry

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
João Perry
João Perry
Nascimento 21 de julho de 1940 (74 anos)
Lisboa
Nacionalidade Portugal português
Ocupação Ator


João Perry, nome artístico de João Rui de Morais Sarmento Paquete (Lisboa, 21 de Julho de 1940) é um ator e encenador português.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Oriundo de uma família ligada ao teatro, iniciou a sua atividade teatral apenas com 12 anos de idade no Teatro Nacional D. Maria II na Companhia Rey Colaço-Robles Monteiro. Frequentou um curso de formação de actores nos Estados Unidos, no La Mamma Experimental Theater Company em Nova Iorque e, em Portugal, os cursos de Eva Winkler e Geoffrey Reeves, na Fundação Calouste Gulbenkian.[1]

Estreou-se em Rapaziadas, no Teatro Nacional, em 1953. Neste período irá destacar-se na peça Três Rapazes e Uma Rapariga (1957), onde trabalhou ao lado de Vasco Santana. Tendo estado em África, França e nos Estados Unidos, fez comédia e revista, trabalhando em vários teatros lisboetas. Das peças em que participou podem destacar-se Romeu e Julieta (1961-1962), Joana de Lorena (1964-1965), O Homem Que Fazia Chover (1966) e Passa Por Mim no Rossio (1991), onde fez uma assinalável recriação de Almada Negreiros. Após abandonar o Teatro Nacional D.Maria II, em 1997, foi exercer as funções de ator/encenador no Teatro Aberto.[2]

Participou também em diversos filmes, entre os quais Raça (1960), Fragmentos de um Filme Esmola, a Sagrada Família (1972), Crónica dos Bons Malandros (1981-1982), Sem Sombra de Pecado (1982), Um Adeus Português (1985), Vale Abraão (1993), Tráfico (1998) e A Vida Invisível (2013). Em televisão, integrou o elenco da primeira telenovela portuguesa, Vila Faia (1982), seguindo-se A Banqueira do Povo (1993), Na Paz dos Anjos (1994), Ballet Rose (1997), Riscos (1998), Ajuste de Contas (2000), onde assinou um poderoso registo dramático como José Eduardo, médico ex-combatente do ultramar com traumas de guerra, O Jogo (2002) e Fascínios (2008), voltando a contracenar com Alexandra Lencastre, onde interpretou Óscar Ventura, um empresário abastado, que acaba sendo assassinado misteriosamente.

Foi o narrador de um documentário açoriano «As Ilhas Desconhecidas», realizado para televisão pelo jornalista, argumentista e cineasta Vicente Jorge Silva. Em 2008, assinou contrato de exclusividade com a estação de Queluz, a TVI. Nesse mesmo ano participou na novela A Outra. Em 2009, participou nas novelas Sentimentos e Deixa Que Te Leve também da TVI. Em 2010, gravou a telenovela Sedução. Em 2013/2014 atuou no papel de Adelino Ferreira na telenovela Sol de Inverno.

Os prémios Garrett e Sete de Ouro para melhor ator de 1990 foram-lhe atribuídos pela sua prestação em Na Solidão dos Campos de Algodão, realizado pelo Novo Grupo. Em 2002 recebeu o Globo de Ouro na categoria de Teatro, como melhor ator e intérprete na peça A Visita (Teatro Aberto, 2001). Na XIX Gala dos Globos de Ouro, 2014, recebeu o "Globo de Ouro de Melhor Ator de Teatro" pela atuação na peça "O Preço" encenada por João Lourenço (Teatro Aberto, 2013).[1] [3] [4]

Em 2015, graças à sua participação no filme Os Maias - Cenas da vida romântica de João Botelho, foi-lhe atribuído o Prémio Sophia para melhor ator secundário.

A sua voz é uma das mais reconhecidas pelos portugueses, devido às narrações que faz em inúmeros anúncios publicitários.

Referências

  1. a b João Perry Artistas Unidos Artistasunidos.pt. Visitado em 3 de junho de 2014.
  2. João Perry Infopédia. Visitado em 5 de junho de 2014.
  3. João Perry, biografia Sapo.pt - Cinema. Visitado em 3 de junho de 2014.
  4. O Preço Teatro Aberto. Visitado em 3 de junho de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.