Juro que vi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Juro que Vi
Informação geral
Formato Série de desenho animado
Duração Aprox. 13 minutos
País de origem Brasil
Produção
Diretor(es) Humberto Avelar,
Sergio Glenes.
Produtor(es) Patricia Alves Dias
Narrador(es) Regina de Assis,
Laura Cardoso.
Exibição
Transmissão original 1 de maio de 2010
- presente

Juro que Vi é uma série de curtas-metragens de animação brasileira que conta as histórias de personagens do folclore brasileiro, tais como o saci, a Iara e o curupira. Os episódios são feitos com a participação de alunos da rede municipal de ensino do Rio de Janeiro e recontam as lendas de maneira atual abordando temas como como direito dos animais, proteção ambiental e preconceito.

Os curtas já foram exibidos em vários canais educativos de televisão como TV Rá-Tim-Bum, TV Cultura, TV Brasil e TV Escola.[1]

A série já ganhou vários prêmios nacionais e participou de festivais internacionais. Ganhou o Grande Prêmio Cinema Brasil 2010, na categoria Melhor Curta-Metragem de Animação,[2] e já participou de festivais como o Festival Internacional de Cinema Infantil e o Japan Prize.

Episódios[editar | editar código-fonte]

O curupira[editar | editar código-fonte]

Feito em 2003, conta a história de um caçador que, com seu assistente, se aventuram na floresta Amazônica, mas acabam sendo vítimas do curupira. [3] Ganhou alguns prêmios nacionais, entre eles:

  • Melhor Curta - Júri Popular no Anima Mundi 2004.
  • Melhor Animação no Festival Audiovisual de Pernambuco 2004.
  • Prêmio Espaço Unibanco no Festival Internacional de Curtas de São Paulo 2004.

Também participou de vários festivais, como o Mostra Cinema no Rio 2005 e o Festival de Cinema Brasileiro em Milão 2005.

O boto[editar | editar código-fonte]

Narrado por Regina Casé, esse curta de 2004 conta a história de amor impossível entre uma mulher que se apaixona por um homem baixinho que na verdade é um boto-cor-de-rosa. [4] Prêmios:

  • Melhor Curta - Júri Popular no Anima Mundi 2005
  • Melhor Curta de Animação no Festival de Guarnicê 2005

Participou de 6 festivais, entre eles o Festival Internacional de Cinema Infantil 2005 e o Japan Prize 2005.

Iara[editar | editar código-fonte]

Feito em 2004 e narrado por José Dumont, conta a história de Pedro Rico e da Iara. [5] Participou de vários festivais, entre eles:

  • Divercine - Prêmio UNESCO 2005.
  • Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis 2005.
  • Toronto International Film Festival 2005.

Matinta Perera[editar | editar código-fonte]

Produzido em 2006, esse episódio narra a história de Matinta Perera, uma bruxa que exige oferendas, e de uma menina e seu gato que acabam descobrindo os segredos dela. [6] Ganhou os prêmios de Melhor Trilha Sonora no Festival de Animação de Gramado 2007 e The Japan Foundation President's Prize no Japan Prize 2007. Participou de vários festivais:

  • Anima Mundi 2007.
  • Banff 2007.
  • Prix Danuble 2007.

O saci[editar | editar código-fonte]

Esse episódio foi produzido em 2009 e retrata o saci, e quando esse personagem do folclore brasileiro invade uma fazenda, seu amargurado dono resolve capturá-lo. [7]

Referências