Karl Ristikivi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Karl Ristikivi (Läänemaa, 16 de outubro de 1912 - Estocolmo, 19 de julho de 1977) foi um escritor estoniano. Ele está entre os melhores escritores estonianos devido a seus romances históricos. Embora ele tenha publicado apenas uma coleção de poemas durante a sua vida, A Jornada (Espiritual) de um Homem, ele é considerado um dos melhores poetas estonianos ao lado de Gustav Suits e Heiti Talvik.

Educação[editar | editar código-fonte]

A vida e trabalho de Karl Ristikivi estão cheio de paradoxos. Ele nasceu, fora do matrimônio, em uma fazenda pobre na região de Lääne em 1912, formou-se em Geografia pela Universidade de Tartu (cum laude) em 1941 e tornou-se um escritor reconhecido ao publicar o romance Fogo e Ferro (Tuli ja raud) em 1938.

O exílio[editar | editar código-fonte]

Ristikivi viajou para a Finlândia em 1943, e no ano seguinte foi para a Suécia. A opressão e a falta de liberdade naquele tempo na Estônia eram inaceitáveis à natureza pacífica de Ristikivi. A condição de um exílio político foi então o resultado de sua livre escolha. Ele ficou fora de sua pátria ocupada até a sua morte em 1977, embora ele fosse freqüentemente convidado a voltar.

Obras selecionadas[editar | editar código-fonte]

  • "Lendav maailm" (1935)
  • "Semud" (1936)
  • "Sellid" (1938)
  • "Sinine liblikas" (1936)
  • "Viikingite jälgedes" (1936)

A Trilogia de Tallinn:

  • "Tuli ja raud" (1938) (Fogo e Ferro)
  • "Õige mehe koda" (1940)
  • "Rohtaed" (1942)

Obras no exílio:

  • "Kõik mis kunagi oli" (1946) (Tudo o que sempre foi)
  • "Ei juhtunud midagi" (1947) (Nada aconteceu)
  • "Hingede öö" (1953) (Todas as Almas da Noite)
  • "Põlev lipp" (1961) (A Bandeira Ardente)
  • "Viimne linn" (1962) (A Última Cidadela)
  • "Surma ratsanikud" (1963) (Cavaleiros da Morte)
  • Trilogia biográfica – "Mõrsjalinik" (1965) (O Véu Nupcial), "Rõõmulaul" (1966) (Canção da Alegria), "Nõiduse õpilane" (Aprendiz de Feiticeiro) (1967)
  • Trilogia – "Õilsad südamed ehk Kaks sõpra Firenzes" (1970), "Lohe hambad" (Os Dentes do Dragão) (1970), "Kahekordne mäng" (Jogo Duplo) (1972)
  • Trilogia de romances utópicos - "Imede saar" (Ilha das Maravilhas) (1964), "Sigtuna väravad" (1968) e "Rooma päevik" (Um Diário Romano) (1976).

Coleção de poesias:

  • "Inimese teekond" (1972) (A Jornada do Homem)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.