Língua de sinais indiana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Língua de Sinais Indiana (ISL, em Portugal: Língua Gestual Indiana) ou Língua de Sinais Indo-Paquistanesa (IPSL, em Portugal: Língua Gestual Indo-Paquistanesa) é a língua de sinais dominantes no Sul da Ásia,[1] usada pelo menos por algumas centenas de surdos (2003).[2] [3] Assim como em muitas outras línguas de sinais, é difícil dizer ao certo o número de seus usuários, já que a maioria dos estudos se foca apenas no norte e nas áreas urbanas da Ásia.[4]

A população surda da Índia, de cerca de 3.1 milhões, é 98% iletrada. Na linha filosófica oralista, as escolas para surdos intervêm cedo nas ajudas à audição, sendo isso, no entanto, considerado ineficaz numa sociedade de poucos recursos. Em 1986, apenas 2% dos surdos frequentava a escola.

Estatuto da língua de sinais[editar | editar código-fonte]

Num primeiro contacto, as escolas para surdos seguem a filosofia oralista.[5]

Desde 2001, um grupo no Instituto Nacional de Deficientes Auditivos, está providenciando material didático e treinamento a professores de ISL, apesar da grande maioria das escolas permanecer oralista.

Desde 2005, tem havido crescente otimismo em relação à língua de sinais, sendo que o NCF lhe atribuiu alguma legitimidade, ao admitir que a língua e sinais pode ser qualificada como uma terceira língua de escolha, para estudantes ouvintes. Em 2006, foi lançado um manual escolar que incluiu um capítulo sobre a língua de sinais, dando ênfase a que esta é uma língua como qualquer outra e um diferente modo de comunicação.

Dialetos e famílias de línguas[editar | editar código-fonte]

Há muitas variedades de línguas de sinais na região, incluindo muitos grupos de sinais familiares, e linguagens e sinais informais. Não há consenso sobre quais destas linguagens constituem dialetos da língua e quais são independentes, mas muitos estudos mostram existir relação entre as linguagens usadas nas regiões urbanas da Índia, Paquistão e Nepal.[4] [6]

São identificados os seguintes dialetos regionais, na Índia:

  • Língua de sinais Mumbai-Delhi
  • Língua de Sinais Calcutta
  • Língua de Sinais Bengalore-Madras

O alfabeto manual da ISL é baseado no alfabeto latino.

Referências

  1. CARVALHO, Paulo Vaz de. breve História dos Surdos no Mundo. [S.l.]: SurdUniverso, 2007. 140 p.
  2. Vasishta, M., J. C. Woodward, and K. L. Wilson. (1978). "Sign Language in India: Regional Variation within the Deaf Population". Indian Journal of Applied Linguistics 4 (2): 66–74.
  3. Ethnologue gives the signing population in India as 2,680,000 in 2003.
    Gordon, Raymond G., Jr. (ed.). Ethnologue: Languages of the World, Fifteenth edition.. [S.l.]: Dallas, Tex.: SIL International., 2005.
  4. a b Ulrike Zeshan. Sign Language of Indo-Pakistan: A description of a Signed Language. Philadelphia, Amsterdam: John Benjamins Publishing Co, 2000.
  5. Dilip Deshmukh. Sign Language and Bilingualism in Deaf Education,. Ichalkaranji,: [s.n.], 1996.
  6. Woodward, J. (1993). "The relationship of sign language varieties in India, Pakistan and Nepal". Sign Language Studies (78): 15-22.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]