Línguas kradai

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kradai (Daic, Tai-Kadai)
Falado em: Sul da China, Sudeste Asiático, Hainan
Total de falantes:
Família: uma das famílas linguisticas mais primárias, com afinidades possíveis com as Línguas austronésias ou Sino-tibetanas
 Kradai (Daic, Tai-Kadai)
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: tai

As línguas Kradai ou Kra-Dai, também conhecidas como Daic, Kadai,[1] ou Tai-Kadai, são uma família linguística de idiomas fortemente tonais encontradas no sul da China e no Sudeste asiático. A diversidade das línguas Kradai no sudeste, especialmente em Hainan, sugere que a "terra natal" da língua fica nessa região. Os falantes das Línguas tai se moveram para o sul, na direção do Sudeste asiático, somente nos tempos históricos (2500 a 2000 A.C.), fundando nações que mais tarde originaram a Tailândia e o Laos, no que fora território das Línguas austro-asiáticas.

Distribuição da família de línguas Kradai

Taikadai-en.svg

Classificação[editar | editar código-fonte]

As línguas Kradai foram inicialmente consideradas como parte da família das Línguas sino-tibetanas, mas fora da China a família é considerada como independente. Essa línguas apresentam muitas palavras similares às de línguas Sino-Tibetanas. Porém, tais palavras são raramente encontradas em todos ramos dessa família, nem estão no vocabulário mais básco das mesmas, o que mostra que devem ser palavras de origem externas às Kradai (Ostapirat 2005).

Vários estudiosos ocidentais apresentaram evidências bem sugestivas de as Kradai se relacionam com as Línguas austronésias, havendo um bom número de cognatos entre os vocabulários desse grupos. Entre os que propuseram essa ideia, ainda não há, porém, uma total concordância se as Kradai são um grupo-irmão das Austronésias na família chamada Austro-Tai, uma imigração de retorno de Taiwan para a China continental ou uma migração mais tardia das Filipinas para Hainan durante a expansão de grupos étnicos Austronésios.

Na China são chamadas de Línguas Kam-Tai ou Zhuang-Dong, sendo consideradas como Sinio-Tibetanas junto com as Línguas Miao-Yao. Ainda se discute entre os especialistas chineses se as Línguas kra, tais como a Gelao, a Qabiau e a Lachi, podem ser incluídas nas Zhuang-Dong, pois lhes faltam similaridades com as Sino-Tibetanas, semelhanças essas que levaram estudiosos a incluir as Zhuang-Dong nessas Sino-Tibetanas.

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

As Kradai se constituem em cinco ramos bem definidos e estabelecidos: Hlai, Kra, Kam-Sui, Tai, e a língua Ong Be (Bê):

Com base nos muitos pontos comuns entre os vocabulários, os ramos Kam-Sui, Be e Tai são muitas vezes classificados juntos (Ver Kam-Tai). No entanto, essa é uma evidência negativa, possivelmente em função das substituições léxicas nos outros ramos. As similaridades morfológicas sugerem, ao contrário, que Kra e Kam-Sui devam ser agrupadas juntas como Kradai do Norte e Hlai junto com Tai como Kradai Sul (cf. Ostapirat 2006).

Árvore:

Kradai 
 Norte 

Kra



Kam-Sui



 Sul 

Hlai



Tai


 ?

Ong Be




Nessa proposta a situação de Ong Be não está definida.

Origem[editar | editar código-fonte]

As populações falantes do Kradai são originárias do Leste e do Sul da Ásia, tendo migrado para o norte e mais ainda para o leste, com os Kam-Sui sendo provavelmente os últimos a se deslocarem. O estudo de cerca de cem grupos populacionais do leste da Ásia, incluindo 30 populações Tai (falantes de Kradai), chegaram às seguintes conclusões:

  • Os falantes de Kradai apresentam muitas similaridades genéticas, mesmo com as miscigenações com as populações locais ocorridas depois da expansão da etnia.
  • Uma significante parcela das populações do sul da China apresentam marcas de populações falantes das línguas Kradai.
  • As línguas dos Aborígenes de Taiwan são mais similares às línguas Kardai do que com os idiomas de populações Austronésias, ou seja, do que das Línguas malaio-polinésias.
  • As aderências entre sub-famílias de falantes correlatos das Kradais, consideradas com base nas suas similaridades genéticas, indicaram um fluxo mais limitado de genes quando de sua separação.

Referências[editar | editar código-fonte]

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

  • Diller, A., J. Edmondson, & Yongxian Luo, ed., (2005). The Tai-Kadai languages. London [etc.]: Routledge. ISBN 0-7007-1457-X
  • Edmondson, J. A. (1986). Kam tone splits and the variation of breathiness.
  • Edmondson, J. A., & Solnit, D. B. (1988). Comparative Kadai: linguistic studies beyond Tai. Summer Institute of Linguistics publications in linguistics, no. 86. [Arlington, Tex.]: Summer Institute of Linguistics. ISBN 0-88312-066-6
  • Somsonge Burusphat, & Sinnott, M. (1998). Kam-Tai oral literatures: collaborative research project between. Salaya Nakhon Pathom, Thailand: Institute of Language and Culture for Rural Development, Mahidol University. ISBN 974-661-450-9

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. No Ethnologue a identificação "Kadai" é restrita ao ramo das Kradai aqui a seguir chamado "Kra".