Lúcio de Castro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Lúcio de Castro é um historiador/jornalista, que atualmente trabalha nos canais ESPN, como repórter e comentarista do programa, Bate-Bola, primeira edição, ao lado de João Carlos Albuquerque, Mauro Cezar Pereira e Paulo Vinícius Coelho.[1] Esporadicamente publica opiniões e reportagens em seu blog, no site da ESPN. Filho, do também jornalista, Marcos de Castro.

História[editar | editar código-fonte]

Nascido na cidade do Rio de Janeiro, Lúcio de Castro, antes de se tornar jornalista, formou-se em história. Começou sua carreira jornalista, em 2000, no jornal do Commercio. Em seguida, foi para o Jornal do Brasil, onde trabalhou junto com seu pai.[2]

Lúcio é conhecido por sua posições firmes e críticas aos períodos sombrio de nossa história. Tido como 'boa praça', sempre menciona a barraca do Aguinaldo, no Rio de Janeiro.[3]

Antes de chegar aos canais ESPN, teve passagens como repórter pelo jornal O Globo, a TV Globo e o canal da Globosat, SporTV.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Por seus trabalhos jornalísticos recebeu vários prêmios.[4]

  • 2003 - Prêmio Embratel, em parceria com Fellipe Awi, com a série Nos porões do futebol;
  • 2006 - Prêmio Embratel, com a série Os passos da paixão, na categoria Reportagem Esportiva;
  • 2008 - Prêmio Direitos Humanos MJDH/OAB;
  • 2008 - Prêmio Ibero-Americano (UNICEF-EFE);
  • 2008 - Prêmio da Fundación Nuevo Periodismo (dirigida por Gabriel Garcia Márquez);
  • 2009 - Prêmio Anamatra de Direitos Humanos, para o SporTV na categoria Imprensa, com a reportagem Escravos do século XXI;
  • 2010 - Prêmio Direitos Humanos MJDH/OAB;
  • 2010 - Prêmio Ibero-Americano (UNICEF-EFE);
  • 2010 - Prêmio da Fundación Nuevo Periodismo (dirigida por Gabriel Garcia Márquez);
  • 2012 - Prêmio Jornalista Vladimir Herzog;
  • 2013 - Cinefoot, com o episódio Chile, da série Memórias do Chumbo - o futebol nos tempos do Condor;
  • 2013 - Prêmio da Fundación Nuevo Periodismo (dirigida por Gabriel Garcia Márquez), pela série Memórias do Chumbo - o futebol nos tempos do Condor, na categoria Cobertura de Notícias.[5]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências