Método de Interpretação para o Ator

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Método de Interpretação Para o Ator ou simplesmente O Método, como é conhecido, foi desenvolvido nos palcos norte-americanos, principalmente em Nova York nas décadas de 1930 e 1940. Os atores de teatro Elia Kazan, Robert Lewis, Lee Strasberg, primeiro no Group Theatre e depois no Actors Studio, desenvolveram uma forma particular do sistema proposto por Stanislavski a partir dos ensinamentos de Lee Strasberg no American Laboratory Theatre em 1920, focalizando principalmente nas necessidades psicológicas dos atores norte-americanos contemporâneos.

É uma técnica onde o ator procura desenvolver em si mesmo os pensamentos e emoções da personagem procurando criar uma apresentação similar a da vida. Esta procura desenvolver o trabalho do ator sobre suas próprias emoções e memórias vividas, auxiliados por uma série de exercícios e práticas incluindo a memória sentimental e a memória afetiva.

Origem[editar | editar código-fonte]

O método é uma variante do Sistema Stanislavski criado por Constantin Stanislavski e desenvolvido nas três primeiras décadas do século XX e exposto em suas obras em colaboração com vários artistas russos em sua prática no Teatro de Arte de Moscou.

O método influencia a técnica de vários artistas do cinema norte-americano como Marlon Brando, Montgomery Clift, Marilyn Monroe, James Dean, Paul Newman, Al Pacino, Dustin Hoffman, Eli Wallach, Alec Baldwin, Robert De Niro, Jane Fonda, and Ellen Burstyn.

Técnica[editar | editar código-fonte]

Como o método teve muitos como elaboradores e divulgadores Stella Adler, Robert Lewis e Sanford Meisner, cada um deles tem uma pequena variante no entendimento e na adaptação dos ensinamentos do mestre russo. Mesmo Stanislavski modificou seu sistema muitas vezes durante a sua vida.

Algumas das práticas do método, como descritas por Hull, são relaxamento, memória sensível, concentração, imaginação, concentração, substituição, justificação, exercício de animais, objeto pessoal, momento privado, memória afetiva, canto e dança, monólogo interior, monólogo narrativo, falar para fora, momento a momento e subtexto.

Professores[editar | editar código-fonte]

Stanislavski descreveu seu sistema, como ele mesmo o chamou, em quatro livros. Uma autobiografia, e outros livros publicados na forma de um ensaio de teatro, onde um ator iniciante se envolve com problemas de aprendizado: Minha Vida na Arte, A Preparação do Ator, A Construção da Personagem e A Criação do Papel.

Os seguintes professores e atores russos se mudaram para os Estados Unidos, no início do século XX, influenciaram a divulgação das técnicas de atuação do diretor, embora cada um imprimisse características particulares em seus ensinamentos.

Artistas norte-americanos que desenvolveram o método.

O método continua a ser ensinado até os dias de hoje em escolas como Lee Strasberg Theatre and Film Institute em Nova York e Los Angeles, no Actors Studio em Nova York, no Stella Adler Studio of Acting em Nova York e Los Angeles, no Edgemar Center for the Arts e no Larry Moss Studio em Santa Monica, Califórnia, HB Studio em Nova York, no Le Studio Jack Garfein em Paris, Palm Beach Playhouse em Palm Beach Florida, entre tantos.Tambem aplicado com sucesso na Oficina de Artes Rosina Pagan, em São Paulo sob a direção do Diretor de TV e Cinema, Dimas Oliveira Junior.

Livros sobre o método[editar | editar código-fonte]

história e origem
  • Strasberg's Method, de S. Loraine Hull.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Stanislavski. Sobranie sotshinenii (Obras Completas) 1951-1964. 8 vols.
  • Stanislavski. My Life in Art. Moscou. Foreign Languages Publishing. House, 1963 (publicado na URSS).
  • Stanislavski. A Preparação do Ator. Tradução: Pontes de Paula Lima (da tradução norte-americana). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. 1964.
  • Stanislavski. A Construção da Personagem. Tradução: Pontes de Paula Lima (da tradução norte-americana). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. 1970
  • Stanislavski. A Criação de um Papel. Tradução: Pontes de Paula Lima (da tradução norte-americana). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. 1972
  • Stanislavski. Sobranie sotshinenii (Obras Completas) segunda edição 1988-1999. 9 vols.
  • Stanislavski. Minha Vida na Arte. Tradução de Paulo Bezerra (do original russo). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. 1989.
  • Wilson, Edwin. Goldfarb, Alvin. Theater: The Lively Art. Publisher: McGraw-Hill; 4 edition (June 21, 2001). ISBN 0-07-246281-7
  • Hull, S. Loraine Strasberg's Method, Hull-Smithers (March 2004) ISBN 978-0971040113.

Ver também[editar | editar código-fonte]