Marco Pórcio Catão Saloniano, o Velho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Marco Pórcio Catão, chamado de Saloniano por causa de seu avô Salônio e de o Velho para distinguí-lo do seu filho de mesmo nome, foi o segundo filho de Catão, o Velho (Marco Pórcio Catão) e o avô de Catão, o Jovem.

Família[editar | editar código-fonte]

Aulo Gélio, no livro Noctes Atticae, reproduz um diálogo com Sulpício Apolinário e outros amigos, que eles tiveram na biblioteca do palácio de Tibério, sobre os descendentes de Catão, o Velho.[1]

A família de Catão, o Velho, se dividiu em dois ramos, o ramo que descendia do filho mais velho, e o ramo Saloniano, descendente do filho mais novo; havia uma diferença signicativa entre as gerações do primeiro ramo e do segundo, pois o segundo filho nasceu quando seu pai já era velho.[2]

O ramo mais velho era representado por Marco Pórcio Catão Liciniano, que morreu quando era pretor, e seu pai ainda era vivo; este foi o pai de Marco Pórcio Catão Neto, sobre cuja identidade havia começado a discussão entre os amigos,[3] e que foi um importante orador, foi cônsul com Quinto Márcio Rex e morreu na África durante seu consulado;[4] este foi o pai de Marco Pórcio Catão, que foi edil curul, pretor e morreu na Gália Narbonense.[5]

O segundo ramo era descendente de Marco Pórcio Catão Saloniano, filho que Catão, o Velho, teve no fim da sua vida.[2]

Nascimento[editar | editar código-fonte]

Catão, o Velho, após a morte da sua primeira esposa, ainda tinha apetite sexual.[6] Seu filho tinha se casado com a filha de Emílio Paulo e irmã de Cipião,[6] o casal morava na mesma casa que o pai, e eles perceberam que Catão , o Velho, estava se relacionando sexualmente com uma escrava.[7] Vendo que a situação era desagradável ao filho,Catão o Velho, ao se encontrar com Salônio, que havia sido seu secretário, perguntou sobre a filha que Salônio tinha, e que estava em idade para se casar, se ela já havia arrumado um marido.[7]

Salônio respondeu que não, e que ele não deveria arrumar um marido para a filha sem antes consultar seu patrão; Catão perguntou se seria aceitável que ela se casasse com um homem que, segundo Catão, não tinha nenhum defeito além da idade avançada.[8] Salônio respondeu que Catão poderia prosseguir com o plano, ao que Catão respondeu que ele estava pedindo a filha em casamento para si.[8]

Salônio ficou espantado, pois achava Catão muito velho para se casar, além disso, considerava-se muito humilde para casar sua filha com alguém que havia alcançado o consulado, mas, quando viu que Catão estava mesmo disposto, eles formalizaram o casamento.[9]

O filho de Catão, porém, perguntou ao pai se ele estava se casando porque tinha algum problema com ele,[9] mas Catão respondeu que a conduta do filho era admirável, e ele estava casando de novo de forma a dar a seu país outros filhos como ele.[10]

Desta união nasceu Marco Pórcio Catão, chamado Saloniano, por causa do avô.[11]

O filho mais velho de Catão, o Velho, morreu quando era pretor, e seu pai ainda era vivo.[11]

Descendentes[editar | editar código-fonte]

Marco Pórcio Catão Saloniano teve dois filhos, Marco e Lúcio.[12] Seu filho, Marco, foi tribuno da plebe e morreu quando era candidato a pretor.[13] Este filho, Marco, foi o pai de Catão, o Jovem, que foi pretor e se suicidou em Útica, durante as guerras civis.[13] De acordo com Plutarco, Catão, o Jovem era bisneto de Saloniano.[14]

Referências

  1. Aulo Gélio. Noctes Atticae, xiii, 20, Sobre a linhagem e os nome da família Pórcia, 1 [em linha]
  2. a b Aulo Gélio. Noctes Atticae, xiii, 20, Sobre a linhagem e os nome da família Pórcia, 15
  3. Aulo Gélio. Noctes Atticae, xiii, 20, Sobre a linhagem e os nome da família Pórcia, 9
  4. Aulo Gélio. Noctes Atticae, xiii, 20, Sobre a linhagem e os nome da família Pórcia, 10
  5. Aulo Gélio. Noctes Atticae, xiii, 20, Sobre a linhagem e os nome da família Pórcia, 12
  6. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Catão, o Velho, 24.1 [em linha]
  7. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Catão, o Velho, 24.2
  8. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Catão, o Velho, 24.3
  9. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Catão, o Velho, 24.4
  10. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Catão, o Velho, 24.5
  11. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Catão, o Velho, 24.6
  12. Aulo Gélio. Noctes Atticae, xiii, 20, Sobre a linhagem e os nome da família Pórcia, 13
  13. a b Aulo Gélio. Noctes Atticae, xiii, 20, Sobre a linhagem e os nome da família Pórcia, 14
  14. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Catão, o Velho, 27.5