Maria Manuela (princesa de Portugal)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Dona Maria Manuela
Princesa Herdeira de Portugal
Princesa Consorte das Astúrias
Duquesa de Milão
Princesa Herdeira de Portugal
Período 15271535
Predecessor D. Afonso
Sucessor D. Manuel
Princesa-consorte das Astúrias
Período 15431545
Predecessor Filipe I de Espanha
Sucessor Isabel de Bourbon
Cônjuge Filipe II de Espanha
Descendência
D. Carlos
Casa Avis
Pai D. João III de Portugal
Mãe D. Catarina de Áustria
Nascimento 15 de Outubro de 1527
Coimbra, Portugal
Morte 12 de Agosto de 1545 (17 anos)
Valladolid, Espanha

Maria Manuela de Portugal (Coimbra, 15 de Outubro de 1527Valladolid, 12 de Agosto de 1545), foi uma infanta portuguesa (a segunda filha do casamento de João III e Catarina de Áustria e, junto com o Príncipe João de Portugal, um dos dois únicos filhos do casal a chegar à adolescência).

Ao nascer, sendo então o único filho vivo do monarca, D. Maria Manuela foi jurada Princesa herdeira da Coroa de Portugal, título que manteve até 1535. Nesse ano, o seu irmão mais novo, D. Manuel substituiu-a como herdeiro, em virtude de ser filho varão.

Mais tarde D. Maria Manuela foi casada com o então Príncipe das Astúrias, D. Filipe (futuro Filipe II de Espanha e I de Portugal), seu primo, no quadro da profunda ligação dinástico-familiar entre a casa de Avis-Beja e a casa de Áustria, que culminaria, em última análise, na União Ibérica de 1580.

O contrato de casamento celebrou-se em 1543, quando ambos os nubentes contavam dezasseis anos de idade. A infanta partiu para Espanha pela fronteira do Caia, rumo a Badajoz, sendo escoltada pelo bispo de Cartagena e pelo duque de Medina Sidónia. Em Novembro chegou a Salamanca, onde no dia 14 se celebrou com grande pompa a boda com o herdeiro das Espanhas, em cerimónia oficiada pelo arcebispo de Toledo.

No dia seguinte, os príncipes das Astúrias foram visitar a sua avó comum, a rainha Joana, a Louca, ao mosteiro de Tordesilhas, onde estava encarcerada desde que começara a manifestar sinais de loucura – com efeito, tanto o pai de Filipe, Carlos I de Espanha, como a mãe de Maria Manuela, Catarina de Áustria, eram irmãos, filhos de Joana.

De Tordesilhas passaram a Simancas, e daí a Valladolid, onde a infanta deu à luz, a 8 de Julho de 1545 o seu único filho, o infante D. Carlos, futuro príncipe das Astúrias, jovem mentalmente retardado devido às ligações intra-sanguíneas entre os antepassados das casas reais portuguesa e espanhola; de facto, D. Carlos, à semelhança de D. Sebastião, tinha apenas quatro bisavós (D. Manuel I de Portugal e D. Maria de Aragão, por um lado, e Filipe I de Espanha e Joana, a Louca, por outro), ao invés dos normais oito, sendo assim os seus avós primos co-irmãos, o que aumentou em muito a probabilidade de contrair uma afecção grave.

O parto foi bastante complicado, tendo Maria vindo a falecer quatro dias depois de dar à luz, a 12 de Julho, sem ter completado ainda os dezoito anos de idade.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
D. Afonso
Armas principe herdeiro portugal.png
Princesa herdeira de Portugal

1527-1535
Sucedido por
D. Manuel
Precedido por
Filipe I de Espanha
Coat of Arms of Maria Manuela of Portugal as Princess Consort of Asturias.svg
Princesa-consorte das Astúrias

15431545
Sucedido por
Isabel de Bourbon
Ícone de esboço Este artigo sobre uma Rainha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.