Maria Luísa de Parma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde outubro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Maria Luísa de Parma
Princesa de Parma
Rainha Consorte da Espanha
Cônjuge Carlos IV de Bourbon, Rei da Espanha(1788-1808)
Nome completo
Maria Luísa de Bourbon-Parma
Casa Bourbon
Pai Filipe I de Parma
Mãe Luísa Isabel de Bourbon
Nascimento 09 de dezembro de 1751
Parma, Itália
Morte 02 de janeiro de 1819 (67 anos)
Roma, Itália

Maria Luísa de Parma (Parma, 9 de dezembro de 1751Roma, 2 de janeiro de 1819), de seu nome completo Maria Luísa de Bourbon-Parma, princesa de Parma e rainha da Espanha por ter-se casado com Carlos IV de Bourbon, em 1765.

Primeiros anos de vida[editar | editar código-fonte]

Maria Luisa de Bourbon nasceu em Parma, Itália, em 9 de dezembro de 1751[1] . Era filha de Filipe I de Parma e de Luísa Isabel de Bourbon, filha da França. Era neta materna de Maria Leszczynska, princesa da Polónia, e consorte do rei de França Luís XV. O seu bisavô foi Estanislau I da Polônia o que fazia com que Maria Luísa descendesse da família real polaca por parte da mãe. O seu pai, Filipe I de Parma era filho de Isabel Farnésio, princesa de Parma (o que fez com que ele viesse a herdar o ducado de Parma) e de Filipe V de Espanha. Era irmã de Isabel de Parma, casada com José II, Sacro Imperador Romano-Germânico, e de Fernando, duque de Parma, casado com Maria Amália de Áustria.

Em 1759, a mãe de Maria Luísa de Parma, Luísa Isabel de Bourbon, filha da França, falece, o que faz com que a jovem Maria Luísa parta para França, para ser educada na corte do avô materno, o Rei Luís XV de França, onde recebe uma educação esmerada.

Em 1765, com apenas 14 anos, Maria Luísa de Bourbon casa-se com o primo Carlos IV de Espanha, que nessa altura ainda era infante, filho de Carlos III de Espanha e de Maria Amália de Saxe. Quem pediu a mão de Maria Luísa de Parma ao infante foram os seus avós maternos Luís XV de França e Maria Leszczynska.

Em 1765, Filipe I de Parma falece, deixando Maria Luísa de Parma órfã.

A sua vida na corte espanhola[editar | editar código-fonte]

Nenhuma outra consorte espanhola foi tão odiada, acusada ou abusada como a moralmente corrupta Maria Luisa. Teve numerosos amantes enquanto seu marido se ocupava em armar e desarmar relógios. Os nomes adiantados são Juan Pignatelli, o Conde de Teba, Augustín de Lancaster, o Conde de Montijo, Diego Godoy, o Primeiro Secretário do Despacho Luís de Urquijo e outros jovens guardas de Corpo de Guarda, entre os quais o venezuelano Mallo.

Um dos amantes, o mais famoso deles, foi Manuel Godoy (Badajoz, 12 de maio de 1767-4 de outubro de 1851 em Paris), apelidado “El Choricero”, chegou a ser Príncipe da Paz, serviu como Primeiro Ministro por anos. Sua paixão pelo jovem Manuel foi a causa dos vários problemas da Espanha da década de 1790 à primeira década do XIX.

Coplas diziam dele: “Duque por usurpación, príncipe de iniquidad, general en la maldad, almirante en la traición, lascivo cual garañón, de rameras rodeado, con dos mujeres casado. En la ambición sin igual, en la soberbia sin par, y la ruina del Estado.”

A Espanha, enquanto Maria Luísa governava porque dominava seu marido o rei, foi presa fácil das forças de Napoleão.

Apesar disto, Maria Luísa de Parma educou os seus filhos e casou, juntamente com o marido, a sua filha primogénita, Carlota Joaquina de Bourbon com o infante João, futuro João VI de Portugal, em 1785.

Diz-se que aos 40 anos, quando já não tinha dentes, usava pérolas no lugar deles.

Descendência[editar | editar código-fonte]

Brasão de Armas da Rainha Maria Luisa.

Maria Luísa de Bourbon, princesa de Parma foi rainha de Espanha de 1788 a 1808, altura em que Napoleão conquistou Espanha. Foi avó de Dom Pedro I, Imperador do Brasil (Pedro IV de Portugal) e de Miguel I de Portugal, filhos de Carlota Joaquina de Borbón e de Maria Cristina de Bourbon, que se casou com Fernando VI de Espanha e foi regente de Espanha, entre 1833 e 1843, em nome da filha Isabel II de Espanha.

Faleceu em 2 de Janeiro de 1819, em Roma, na Itália, com 67 anos de idade.

Ascendência[editar | editar código-fonte]

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
16. Luís XIV de França
 
 
 
 
 
 
 
8. Luís, o Grande Delfim
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
17. Maria Teresa de Espanha
 
 
 
 
 
 
 
4. Filipe V de Espanha
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
18. Fernando Maria da Baviera
 
 
 
 
 
 
 
9. Maria Ana da Baviera
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
19. Henriqueta Adelaide da Sabóia
 
 
 
 
 
 
 
2. Filipe I de Parma
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
20. Rainúncio II, Duque de Parma
 
 
 
 
 
 
 
10. Eduardo (II) Farnésio
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
21. Isabel de Este
 
 
 
 
 
 
 
5. Isabel Farnésio
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
22. Filipe Guilherme de Neuburgo
 
 
 
 
 
 
 
11. Doroteia Sofia de Neuburgo
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
23. Isabel Amália de Hesse-Darmstadt
 
 
 
 
 
 
 
1. Maria Luísa de Parma
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
24. Luís, o Grande Delfim (=8)
 
 
 
 
 
 
 
12. Luís, duque de Borgonha
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
25. Maria Ana da Baviera (=9)
 
 
 
 
 
 
 
6. Luís XV de França
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
26. Vítor Amadeu II de Saboia
 
 
 
 
 
 
 
13. Maria Adelaide de Saboia
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
27. Ana Maria de Orleães
 
 
 
 
 
 
 
3. Luísa Isabel de França
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
28. Rafał Leszczyński
 
 
 
 
 
 
 
14. Estanislau I
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
29. Anna Jabłonowska
 
 
 
 
 
 
 
7. Maria Leszczyńska
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
30. Jan Karol Opaliński
 
 
 
 
 
 
 
15. Catarina Opalińska
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
31. Zofia Czarnkowska
 
 
 
 
 
 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Família Real Bourbon-Parma (em inglês). Página visitada em 09/10/212. Cópia arquivada em 2006-12-04.