Isabel de Parma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Isabel de Parma
Princesa de Parma, Arquiduquesa consorte da Áustria
Jean-Marc Nattier 005.jpg
Isabel de Parma
Governo
Consorte José II, Sacro Imperador Romano-Germânico
Casa Real Casa Ducal de Parma e Casa de Habsburgo-Lorena
Dinastia Bourbon-Parma
Vida
Nascimento 31 de Dezembro de 1741
Madrid, Espanha
Morte 27 de novembro de 1763 (21 anos)
Viena, Áustria
Filhos Maria Teresa da Áustria
Maria Cristina da Áustria
Pai Filipe I de Parma
Mãe Luísa Isabel de França

Isabel de Bourbon (Isabella Maria Luisa Antonietta Ferdinanda Giuseppina Saveria Domenica Giovanna), princesa de Parma, (Madrid, 31 de dezembro de 1741  — Viena, 27 de novembro de 1763), era filha de Filipe I de Parma e de Luísa Isabel de França, filha mais velha do rei Luís XV de França e de Maria Leszczyńska.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Infanta de Espanha, Isabel nasceu no Palácio do Bom Retiro e é criada na corte do seu avô paterno Filipe V de Espanha, em Madrid. Na sequência do Tratado de Aquisgrão de 1748, o seu pai torna-se duque de Parma e, desde logo, dirige-se para o seu novo estado. A nova duquesa, mãe de Isabel, faz um desvio por Versalhes, a fim de visitar o seu pai, o rei Luís XV de França, assegurando-se do seu apoio político e financeiro. A pequenina Isabel acompanha a mãe (na altura era filha única) que rapidamente conquista a família e a corte francesa.

Já em Parma, Luísa Isabel dará à luz dois outros filhos ao seu marido. Aproveitando a nova aliança entre os Bourbons e os Habsburgos, ela consegue o apoio do pai para os projectos de casamento de dois de seus filhos: o de Isabel com o futuro imperador José II, e o de Maria Luísa, a filha mais jovem, com o pequeno duque de Borgonha, filho do Delfim (casamento que não se veio a concretizar por morte do jovem duque).

A união das duas dinastias católicas[editar | editar código-fonte]

No quadro da reaproximação das casas de Bourbon e de Habsburgo-Lorena, Isabel acaba por casar, em 6 de outubro de 1760, com a idade de 18 anos, e o seu noivo viria a tornar-se o imperador José II.

Do casamento nascem duas filhas :

Isabel fascina a corte de Viena pela sua beleza e inteligência. Dotada dum grande sentido político, ela conquista não só os sogros, como também o seu marido que, familiarmente, a chama «Tya-Tya». Isabel acaba por se ocupar escrevendo obras históricas, filosóficas e até piedosas.

Também com a sua cunhada, a arquiduquesa Maria Cristina, Isabel cria uma forte relação de amizade, mantendo uma ativa correspondência.

Obcecada pela morte, Isabel vê a sua filha Maria Teresa morrer em janeiro de 1770 morrendo ela própria, pouco depois, de varíola no Palácio de Schönbrunn, sendo sepultada na Cripta Imperial de Viena (ou cripta dos capuchinhos), necrópole dos Habsburgo-Lorena, deixando o marido inconsolável.

Ascendência[editar | editar código-fonte]

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
16. Luís XIV de França
 
 
 
 
 
 
 
8. Luís, o Grande Delfim
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
17. Maria Teresa de Espanha
 
 
 
 
 
 
 
4. Filipe V de Espanha
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
18. Fernando Maria da Baviera
 
 
 
 
 
 
 
9. Maria Ana da Baviera
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
19. Henriqueta Adelaide da Sabóia
 
 
 
 
 
 
 
2. Filipe I de Parma
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
20. Rainúncio II, Duque de Parma
 
 
 
 
 
 
 
10. Eduardo (II) Farnésio
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
21. Isabel de Este
 
 
 
 
 
 
 
5. Isabel Farnésio
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
22. Filipe Guilherme de Neuburgo
 
 
 
 
 
 
 
11. Doroteia Sofia de Neuburgo
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
23. Isabel Amália de Hesse-Darmstadt
 
 
 
 
 
 
 
1. Isabel de Parma
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
24. Luís, o Grande Delfim (=8)
 
 
 
 
 
 
 
12. Luís, duque de Borgonha
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
25. Maria Ana da Baviera (=9)
 
 
 
 
 
 
 
6. Luís XV de França
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
26. Vítor Amadeu II de Saboia
 
 
 
 
 
 
 
13. Maria Adelaide de Saboia
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
27. Ana Maria de Orleães
 
 
 
 
 
 
 
3. Luísa Isabel de França
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
28. Rafał Leszczyński
 
 
 
 
 
 
 
14. Estanislau I
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
29. Anna Jabłonowska
 
 
 
 
 
 
 
7. Maria Leszczyńska
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
30. Jan Karol Opaliński
 
 
 
 
 
 
 
15. Catarina Opalińska
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
31. Zofia Czarnkowska
 
 
 
 
 
 


Ligações internas[editar | editar código-fonte]


Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Ernest Sanger, Isabelle de Bourbon-Parme : La Princesse et la Mort, Bruxelles, Racine, 2002.
  • Isabelle de Bourbon-Parme : "Je meurs d'amour pour toi" -Lettres à l'archiduchesse Marie-Christine 1760-1763, editadas por Elisabeth Badinter, Paris, Tallandier, 2008.
  • Eurydice Vial, De la vie des marionnettistes, Paris, Bouquineo pour Chemins de tr@verse, 2010. Romance inspirado na vida de Isabel de Parma.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]