Margarida Teresa de Habsburgo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
A infanta Margarida Teresa.

Margarida Teresa de Habsburgo (Madrid, 12 de julho de 1651Viena, 12 de março de 1673) foi uma infanta da Espanha e a imperatriz consorte do Sacro Império Romano-Germânico. Foi filha do rei Felipe IV de Espanha e de sua segunda esposa Maria Ana de Áustria. Seus avós maternos eram Fernando III, Imperador do Sacro Império Romano Germánico e Maria Ana de Espanha, enquanto seus avós paternos eram Felipe III de Espanha e Margarida de Áustria. Também era irmã de Carlos II o Enfeitiçado o último Rei da Casa de Habsburgo na Espanha, e meia irmã de Maria Teresa de Espanha, rainha consorte da França. Margarida Teresa é também a figura central do famoso quadro Las Meninas, de Diego Velázquez. Apesar do alto grau de consanguinidade em sua família, Margarida Teresa era uma menina bonita, dotada de um caráter doce e alegre. Era também a filha favorita do rei Felipe IV, que em suas cartas particulares se refería a ela como «mi alegría» (Minha Alegria).

Casamento[editar | editar código-fonte]

Detalhe de Las Meninas.
Infanta Margarida.

Por razões políticas, Margarida Teresa ficou noiva, ainda criança, de seu tio materno e primo paterno, Leopoldo I, Sacro Imperador Romano-Germânico. Seu pai estipulou que ela deveria manter sua posição na linha de sucessão ao trono espanhol e passar seus direitos de sucessão aos seus descendentes, algo que Leopoldo I aceitou de bom grado.

No verão de 1666, a infanta, então com quinze anos de idade, deixou a Espanha em direção à Áustria, onde foi recebida solenemente por Leopoldo I. O casamento ocorreu no dia 5 de dezembro daquele ano, em Viena. Apesar da diferença de idade (onze anos) e da aparência não atrativa de Leopoldo I, o casal foi bastante feliz, já que tinham vários interesses em comum, tais como música e teatro. Embora tivesse sido apelidada como "Gretl" por seu marido, Margarida Teresa continuou chamando-o de "tio".

Um dos eventos mais ilustres durante o reinado de Leopoldo foi a esplêndida performance da ópera Il pomo d'oro (A maçã de ouro), pelo compositor italiano Antonio Cesti, a fim de celebrar o aniversário de dezessete anos da imperatriz, em julho de 1668. A ocasião é considerada o apogeu da ópera barroca em Viena, durante o século XVII.

Margarida Teresa faleceu aos vinte e dois anos, em consequência do parto de sua filha Maria Ana, deixando Leopoldo I com o coração partido. Porém, ele se casou novamente, em 1674.

Realeza Espanhola
Casa de Habsburgo
Descendência
Greater Coat of Arms of Charles I of Spain, Charles V as Holy Roman Emperor (1530-1556).svg

Filhos[editar | editar código-fonte]

Margarida Teresa e Leopoldo tiveram quatro filhos:

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Maurice Ravel teria se inspirado em Margarida Teresa de Habsburgo ao compor Pavane pour une Infante Défunte;
  • Oscar Wilde inspirou-se em Las Meninas quando escreveu seu conto The Birthday of the Infanta;
  • Um diamante azul dado a infanta Margarida Teresa, quebrou os records em um leilão em Londres, vendido por 16,39 milhões de libras. Maragarida ganho-o de seu pai quanto tinha somente 13 anos como parte do dote de seu noivado com o tio, Leopoldo I.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Margarida Teresa de Habsburgo