Martos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Localização de Martos
Espanha Martos
Martos
 
—  Município  —
PeñaMartos.JPG
Bandeira de Martos
Bandeira
Brasão de armas de Martos
Brasão de armas
Martos está localizado em: Espanha
Martos
Localização de Martos na Espanha
37° 43' N 3° 58' O
Comunidade autónoma Andaluzia
Província Jaén
Área
 - Total 259,10 km²
Altitude 753 m (2 470 pés)
População (2007)
 - Total 24 141
    • Densidade 93,17/km2 
Gentílico: Marteño/a, tuccitano/a
Fuso horário CET (UTC+1)
 - Horário de verão CEST (UTC+2)
Código postal 23600
Sítio www.aytomartos.com

Martos é uma cidade sede de município da província de Jaén (Andaluzia, Espanha).

Limites geográficos[editar | editar código-fonte]

Os limites geográficos de Martos são: ao norte con os municípios de Torredonjimeno e Jamilena ; a este confina com os municípios de Los Villares e Fuensanta de Martos; a sul com os de Alcaudete e Castillo de Locubín e a oeste com os de Santiago de Calatrava e Almedinilla (este último na província de Córdova).

História[editar | editar código-fonte]

As origens de Martos remontam à Pré-História, com importantes achados desde o neolítico. Desde a época ibérica Martos configura-se como uma complexa cidade conhecida com o nome de Tucci. O seu esplendor terá d sido incrementado durante o período romano, recebendo então o nome de "Colonia Augusta Gemella Tuccitana" juntamente com povoação vizinha de Torredonjimeno. Durante o Baixo Império Romano, Martos terá sido sé episcopal e terá sido durante a época visigoda.

A passagem de diferentes civilizações deixou os seus testemunhos em Martos. Da época romana, da Tucci (como era conhecida Martos( conserva-se um sarcógrafo paleocristão, que data dos anos 330 a 340 e hoje encontra-se conservado no Museu Arqueológico Provincial de Jaén. Também são importantes construções ou restos desta época.

Durante a Idade Média a cidade adquire um especial carácter defensivo com a passagem dos muçulmanos, que deixaram ruínas do que foi um importante castelo situado no alto do principal emblema de Martos: a sua penha, que circunda por toda a povoação, assim como s muralhas e torreões que defendiam a cidade. Fernando III "O Santo" conquistou a cidade em 1219 e esta será doada ao senhorio da Ordem de Calatrava em 1228. Deste modo, Martod irá converter-se na cidade mais importante que a referida ordem possuía no Alto Guadalquivir. Ao limitar com o Reino de Granada, verá reforçadas as suas defesas.

Nos finais dos século XIX e princípios do século XX, a cidade sofre um desenvolvimento urbano e arquitectónico, que se manifesta numa série de edifícios que refle(c)tem as linguagens do Historicismo, Regionalismo e Modernismo, proporcionando um catálogo de edifícios singulares que nos falam da riqueza económica e artística que desfrutou a cidade graças à expansão dos olivais e do azeite e assim Martos converteu-se numa das cidades mais prósperas da Andaluzia Oriental, com uma importante tradição agrícola, especializada nos cereais e na oliveira (mais tarde será esta última a predominar no município), assim como a construção de imponentes mansões senhoriais na sua várzea.

Economia[editar | editar código-fonte]

O município é um grande centro produtor de azeite (é o maior produtor do mundo de azeite) e de cultivo de cereais e legumes. Existem ainda fábricas de cerâmica, de plásticos, etc.

Património histórico e lugares de interesse[editar | editar código-fonte]

  • Edifício da Câmara Municipal (antigo cárcere e cabido)
  • Pilar de Fonte Nova
  • Santuário da Virgem da Vila
  • Igreja Real de Santa Marta
  • Igreja de San Amador
  • Convento das Trinitárias
  • Hospital e Igreja de San Juan de Dios
  • Portada de São Francisco
  • Ermida de San Bartolomé
  • Ermida de São Miguel
  • Ermida de Santa Lucía
  • Ponte romana
  • Círculo Nueva Amistad

Há também a destacar o recinto amuralhado que rodeava a vila, de que ainda se conservam alguns fragmentos. Alguns destes fragmentos tais como a "torre almedina", a "torre de menagem" a "torre albarrã" ou o imponente "Castilo de la Villa", situado do cimo do rochedo que dá o nome, a cerca de 1000 metros de altitude e a 250 metros da cidade. Do castelo restam algumas ruínas, mantendo-se a torre principal em estado razoável.

Festas[editar | editar código-fonte]

As principais festas são: