Musa ibn Nusair

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Arrows-move.svg
Em 10 de junho de 2014 foi proposta a renomeação deste artigo para Muça ibne Noçáir. Se não concorda, use a página de discussão.
Obs.: forma presente em dicionário de arabismo
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde outubro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Muça ibne Noçáir
Nascimento c. 640
Iémen
Morte 716 (76 anos)
Damasco, na Síria
Ocupação líder militar

Muça ibne Noçáir ou Musa ibn Nusair (640716) foi um muçulmano do Iémen, governador de Ceuta e general ao serviço dos Omíadas. Foi um dos líderes da invasão muçulmana da Península Ibérica em 711.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Em 698, foi condecorado como vice-rei do Norte de África e foi o responsável de uma grande rebelião berbere. Muça suportou os constantes conflitos com a marinha bizantina e construiu a frota que foi utilizada na conquista das ilhas de Ibiza, Maiorca e Menorca.

Na península Ibérica, desenrolavam-se lutas internas entre os Visigodos. Entre as facções, estaria o filho de um falecido rei, obstinado pelo seu afastamento do poder. Esta facção apelou a Muça que intercedesse na guerra civil, e Muça acedeu. Enviou o seu general Tárique à península. Os exércitos de Tárique desembarcaram em Gibraltar a 30 de Abril de 711, de onde deram início a um série de lutas conhecidas como a invasão muçulmana. A sua maior vitória deu-se em Setembro do mesmo ano, quando os muçulmanos derrotaram o rei visigodo Rodrigo, que faleceu, na batalha de Guadalete.

Muça juntou-se a Tárique em 712 para conduzir os exércitos em direcção ao sul da França, conseguindo anexar algumas terras. Muça planeava invadir a restante Europa, mas foi chamado pelo califado de Damasco por al-Walid para se justificar, já que o segundo não tinha conhecimento da conquista. Al-Walid morreria pouco depois, e Muça seria aprisionado pelo seu sucessor, Sulimão, que o mandaria executar a 716. O motivo desta execução, embora incerto, parece prender-se com o facto de Muça constituir uma ameaça para Sulimão.

Descendência[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre História da península Ibérica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.