Ocre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ocre
Coordenadas de cor
Tripleto hexadecimal #CC7722
sRGB (r, g, b) (204, 119, 34)
CMYK (c, m, y, k) (14, 63, 97, 4)
HSV (h, s, v) (30.º, 83%, 80%)

Ocre é uma cor, variação do marrom. É uma cor muito utilizada em mapas, para representar densidade populacional e mapas demográficos. Ocre também pode ser uma argila colorida.

O ocre na História Humana[editar | editar código-fonte]

Os tempos mais remotos da história da humanidade registram o primeiro uso do ocre associado ao princípio feminino.[1] A Mãe terra ou Deusa Mãe supria os neolíticos com o ocre vermelho que lhes dava poderes de criação.[1] A Bíblia teria mantido esta relação com a mulher e a terra (Reia) na medida em que Adão (do hebraico אדם relacionado tanto a adamá, solo vermelho ou do barro vermelho, quanto a adom, vermelho, e dam, sangue) foi criado a partir do barro (argila) vermelho. A relação da cor vermelha com o princípio ainda sobrevive no Japão.[1]

  • A mais antiga e inequívoca evidência para a cultura humana vem do sítio arquelógico das Cavernas de Blombos ao sul da África, aonde foram encontrados dois pedaços de ocre gravados com desenhos abstratos, muitas vezes considerada a primeira arte da história humana ao lado de conchas cravadas para uso como jóia e um complexo agregado de instrumentos, tais como ossos primorosamente produzidos. O achado é datado de 75.000 anos atrás. É amplamente cogitada que a presença de uma cultura assim complexa indica o uso de uma linguagem humana moderna.[2]
  • O pigmento de ocre foi usado pelos humanos Cro-Magnon que pintavam as chamadas artes rupestres nas cavernas da Pré-História ao sul da Europa, entre 32.000 e 10.000 anos atrás.[carece de fontes?]

Referências

  1. a b c WebExhibits, Pigments through the ages, Red
  2. Edgar, Blake. 2008 "Letter from South Africa." Archaeology 61.2, March-April 2008.
Ícone de esboço Este artigo sobre cor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.