Organização Sionista Mundial

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Organização Sionista Mundial (em hebraico: ההסתדרות הציונית העולמית), conhecida pela abreviatura WZO, foi fundada na iniciativa de Theodor Herzel no

primeiro congresso sionista, em agosto de 1897, na Basileia, Suíça.

Quando foi fundado, os objetivos do movimento sionista foi declarado na resolução desse congresso.Os objetivos sionistas estabeleceram que todo povo judeu tem legalmente o direito de morar em Israel. Para isso foi utilizado os seguintes meios:

Promover a regularização de agricultores judeus, artesãos e comerciantes na Palestina.

Organizar e unir todo os judeus através de meios locais e internacionais eficazes em conformidade com as leis de cada país.

O reforço do sentimento nacional judaico e da consciência nacional.

Etapas preparatórias para a obtenção do consentimento dos governos, quando necessário, a fim de alcançar os objetivos do sionismo.

A organização sionista mundial é composta pelos seguintes órgãos: As uniões Sionista Mundiais, federações sionistas internacionais; e organizações internacionais que se definem como sionista, como WIZO, Hadassah, Bnai-Brith, Maccabi, a Federação Internacional sefardita, as três vertentes do judaísmo mundial (ortodoxos, conservadores, Reformistas), a delegação do CIS - Comunidade dos Estados Independentes (ex-União Soviética), a União Mundial de Estudantes Judeus (WUJS),e outras mais.

Presidentes da Organização Sionista Mundial[editar | editar código-fonte]

Presidentes do Executivo da Organização Sionista Mundial (e da Agência Judaica)[editar | editar código-fonte]

Congresso Sionista Mundial[editar | editar código-fonte]

O Congresso Sionista Mundial (em hebraico: הקונגרס הציוני העולמי), também conhecido como 'O Parlamento do Povo Judeu', é a mais importante reunião democrática de judeus de todo o mundo. Elege os oficiais e decide sobre a política da WZO e da Agência Judaica. Todo o judeu com mais de 18 anos de idade e que pertença a uma associação sionista tem direito a voto, e o número de delegados, por razões funcionais, é limitado a 500.[1]

No período 1897-1901, o congresso sionista reuniu-se todos os anos, a partir daí de dois em dois anos nos períodos 1903-1913 e 1921-1939. Até 1946 era bienal, reunindo-se em várias cidades europeias, e foi interrompido por causa das duas guerras mundiais. O seu objetivo foi a construção da infra-estrutura para o retorno dos judeus às terras de Israel e da Palestina. Atualmente reúne-se a cada quatro ou cinco anos, em Jerusalém.[2] O 35.º Congresso decorreu em Junho de 2006,[3] e neste o político Zeev Bielski, do partido Kadima, foi eleito líder (chairman) do Congresso. O próximo Congresso está agendado para 2010.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]