Ponte Rodoferroviária

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ponte Rodoferroviária sobre o Rio Paraná
Vista da via ferroviária da ponte a partir de São Paulo

A Ponte Rodoferroviária liga os estados brasileiros de Mato Grosso do Sul e São Paulo sobre o Rio Paraná, unindo a cidade sul-matogrossense de Aparecida do Taboado à cidade paulista de Rubinéia.

Sua construção fora defendida por Euclides da Cunha, em 1901 e, meio século depois, na Conferência dos Governadores da Bacia Paraná-Uruguai.

Foi inaugurada em 29 de maio de 1998, após um investimento de mais de R$ 800 milhões pelos governos federal e de São Paulo. A construção ficou a cargo da construtora brasileira Constran.

Possui quatro faixas de rolamento para veículos rodoviários na parte superior, duas em cada sentido, ligando as rodovias Euclides da Cunha (SP-320) e BR-158, sendo importante ligação entre as regiões Sudeste e Centro-Oeste do Brasil. Na parte inferior possui uma via ferroviária.

Sua construção possibilitou a conclusão da ferrovia Ferronorte, que liga a malha ferroviária do estado de São Paulo à cidade de Alto Taquari, no estado de Mato Grosso, permitindo o escoamento da produção de grãos de parte do Centro-Oeste brasileiro.

Sua extensão total é de 3.700 metros, sendo portanto a maior ponte fluvial brasileira. Cada vão possui 100 metros de extensão. Na sua construção foi utilizada uma plataforma flutuante alemã, ficando durante alguns anos abandonada ao lado da ponte. Em execução judicial pelo não pagamento da mesma ao credor, ela foi arrematada em leilão.

Nessa obra foi utilizado pela primeira um sistema de alerta de tempestades específico para essa obra. O meteorologista responsável, mais conhecido como o "homem do tempo", se chamava Nilo José do Nascimento Franco. E com este monitoramento não ocorreram vitimas, em função das intensas tempestades que ocorriam na região.