Poser

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Autenticidade é objetivo de devotos de várias subculturas musicais, incluindo da cena gótica.

Poser é um termo pejorativo, usado frequentemente nas subculturas punk, metal, gótico, entre outros, para descrever "uma pessoa que finge ser algo que ela não é", copiando vestimentas, vocabulário e/ou maneirismos de um grupo ou subcultura, geralmente para conseguir aceitação dentro de um grupo ou por popularidade em meio a vários outros grupos, mas que não compartilha ou não entende os valores ou a filosofia da subcultura.[1] Os chamados "posers" costumam passar a (ou fingir) gostar de certos artistas, bandas ou gêneros musicais, no momento em que estes passam a ser popularmente conhecidos e esquecê-los quando estes deixam de ser. Enquanto essa inautenticidade percebida é vista como objeto de desprezo e escárnio pelos membros da subcultura, a definição do termo e de a quem ele deve ser aplicado é subjetiva. O termo é mais associado com a subcultura punk dos anos 70 e 80, mas o uso inglês do termo ("poseur") origina-se no fim do século 19.[2] [3]

Etimologia e Definição[editar | editar código-fonte]

O termo Inglês "Poser" é um empréstimo linguístico do Francês, em que é usado figurativamente desde meados do século XIX, com o mesmo significado que no Inglês para se referir a pessoas que "afetam uma atitude ou pose".[4] A palavra refere-se a "uma pessoa que habitualmente finge ser algo que ele não é". [5] [6]

Subcultura Punk[editar | editar código-fonte]

A subcultura punk classifica supostos membros que não respeitam ou entendem os valores da subcultura, como posers.

O termo poseur foi usada em várias músicas punk final da década de 1970, incluindo a canção do X-Ray Spex, "I am Poseur",

Dave Rimmer escreveu que com o renascimento dos ideais do punk de música despojado no início de 1990, com Kurt Cobain, e muitos jovens como ele, rock & roll ... jogou um desafio: você pode ser puro o suficiente, dia após dia, ano após ano, comprovando sua autenticidade, viver de acordo com a música, [ou então] viver sendo um poser, uma farsa, um vendido ?

Um escritor argumentou que a cena punk de Los Angeles foi afetada pela invasão de "posers suburbanos antagônicos", o que gerou "um aumento da violência [...] e levou a um colapso geral da cena hardcore". [7] Um escritor de Gauntlet elogiou os albúns do US Bombs, orientados politicamente como uma pedra de verdade e autenticidade em um mar de esgoto poser", e chamou-os de "punk rockers reais" em "um momento em que o gênero está repleto de canções bobas sobre carros, meninas e narguilés". [8]

Subcultura do heavy metal[editar | editar código-fonte]

Jeffrey Arnett argumenta que a subcultura do heavy metal classifica membros em duas categorias: "aceitação como um autêntico metaleiro ou rejeição como falso, um poseur."[9] Em um perfil da "subcultura de alienação" de fãs de heavy metal, o autor nota que a cena heavy metal classificou alguns supostos membros como posers, isto é, músicos ou fãs de heavy metal que fingiam ser parte da subcultura mas eram considerados como desprovidos de autenticidade e sinceridade.[10]

Um subgênero de metal, o nu-metal é visto como controverso entre os fãs de metal , e os detratores do gênero têm rotulado nu-metal com termos depreciativos como "mallcore", "whinecore", "grunge para os zeros" e "esporte- rock". [11] Gregory Heaney do Allmusic descreveu o gênero como "um dos impulsos mais infelizes do metal no mainstream." ."[12]

Axl Rose comentou que sentiu que a banda eram "estúpidos garotos brancos posers."

Ron Quintana escreveu que quando a banda Metallica estava tentando encontrar um espaço na cena de metal de Los Angeles, no começo dos anos 80, era difícil para a banda "tocar sua música e vencer sobre uma multidão em uma terra onde posers mandavam e qualquer coisa rápida e pesada era ignorada."[13]

Em um artigo sobre Axl Rose, intitulado "Ex–‘White-Boy Poseur'" ("Ex-'Garoto-branco poser'"), Axl disse que teve um "tempo para refletir sobre sua postura heavy metal" das últimas décadas: "Pensávamos ser tão radicais... [até que]] N.W.A surgiu fazendo rap sobre este mundo onde você sai pra fora de casa e leva um tiro. [...] Estava tão claro como éramos garotinhos-brancos estúpidos e posers."[14]

A banda sueca Poser Executioner, de black metal, foi formada em 2011, tem temas líricos contra posers e "falso metal." [15]

Subcultura Gótica[editar | editar código-fonte]

Goth Bíblia de Nancy Kilpatrick descreve góticos poser como "filhos jovens passando por uma fase gótica que não detenham as sensibilidades góticas, mas querer ser parte da multidão gótica.

Goth Bíblia de Nancy Kilpatrick: Um compêndio para os definir, posers trevosos inclinados para a cena gótica da seguinte forma: "wannabes" gótico, geralmente adolecentes passando por uma fase gótica que não tem entendimentos/sensibilidades góticas, mas querem ser parte da multidão gótica ... ". Kilpatrick descarta posers de gótico como "Batbabies", cuja roupa é comprada [loja de shopping] Hot Topic com o dinheiro dos seus pais. [16]

O site goth Goth.net tem uma seção sobre posers que afirma que ninguém nasce sabendo tudo de qualquer subcultura e até que finalmente trazer o seu levantamento para o rebanho, você nunca vai aprender. Apenas certifique-se de que se você realmente está interessado, você faz sua pesquisa e você faz perguntas. É aí que os posers se classificados do joio."

A Goth music reviewer fez uma referencia aos "teen-poser" na multidão gótica que goza de um pequeno gênero conhecido como metal sinfônico". Na subcultura gótica, o termo pejorativo "mall Goth" (gótico de shopping) às vezes é usado para descrever posers.


Referências

  1. Definição de poser (em inglês) Dictionary.com. Visitado em 30 de janeiro de 2010.
  2. http://www.docstoc.com/docs/6325270/Poseur_-music-
  3. Definition of poseur at Dictionary.com
  4. http://www.etymonline.com/index.php?search=poseur&searchmode=none
  5. poseur – Definition from the Merriam-Webster Online Dictionary Merriam-webster.com.
  6. Cambridge Dictionaries Online Dictionary.cambridge.org.
  7. Fantagraphics Books – Artist Bio – Los Bros. Hernandez Fantagraphics.com.
  8. U.S. Bombs – Heavy Metal – News – U.S. Bombs Videos – U.S. Bombs Ringtones – mp3s – Tabs – Wallpaper – lyrics The Gauntlet.
  9. Arnett, Jeffrey Jensen. Metalheads: Heavy Metal Music and Adolescent Alienation (1996)
  10. (1993) "Three profiles of heavy metal fans: A taste for sensation and a subculture of alienation (Três perfis de fãs de heavy metal: gosto pela sensação e uma subcultura de alienação)". Qualitative Sociology 16 (4): 423–43. DOI:10.1007/BF00989973.
  11. Tommy Udo. Brave Nu World. [S.l.: s.n.]. ISBN 1-86074-415-X
  12. Deftones - Koi No Yokan Allmusic.
  13. Ron Quintana's article on "Metallica['s] Early History", first published in Thrash Metal, USA http://www.artistwd.com/joyzine/music/metallica/history.php
  14. Ex–‘White-Boy Poseur’ Axl Rose: Album delay is for the fans. Jada Yuan Published 11 Sep 2006 http://nymag.com/news/intelligencer/20338/
  15. Poser Executioner.
  16. Nancy Kilpatrick's Goth Bible: A Compendium for the Darkly Inclined 2004.
Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.