Praça dos Restauradores

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Praça dos Restauradores
OSM-Lisboa-Restauradores.jpg
Praça dos Restauradores (estrela de cor verde)
Freguesia(s): Santo António
Santa Maria Maior
Lugar, Bairro: Baixa (Santa Justa)
Início: Praça do Rossio
Término: Avenida da Liberdade
Ruas Afluentes: Calçada da Glória, Rua do Jardim do Regedor, Travessa de Santo Antão e Rua dos Condes
Área: 17 300 m2
Nomeação: 22 de julho de 1884
Homenageado(s): Restauradores da Independência (1640)
Designação anterior: Passeio Público
MonumentoRestauradoresLisboa.JPG
Monumentos dos Restauradores em Lisboa.
Toponímia de Lisboa

A Praça dos Restauradores situa-se em Lisboa e é caracterizada pelo alto obelisco, de 30 metros de altura, inaugurado em 28 de Abril de 1886, como custo de 45 contos de réis[1] , que comemora a libertação do país do domínio espanhol em 1 de Dezembro de 1640.

As figuras de bronze do pedestal representam a Vitória, com uma palma e uma coroa, e a Liberdade. Os nomes e datas nos lados do obelisco são os das batalhas da Guerra da Restauração.

O Monumento foi custeado por subscrição pública, aberta em Portugal e no Brasil, gerida por uma comissão sob a presidência do Marquês de Sá da Bandeira impulsionado pela Comissão Central do 1º de Dezembro de 1640 do qual fazia parte.

O projecto do monumento é da autoria de António Tomás da Fonseca e dois artistas portugueses. Respectivamente, as estátuas alegóricas (os génios da Vitória e da Independência). executadas pelo José Simões de Almeida do lado norte e Alberto Nunes a sul. A sua construção foi entregue a Sérgio Augusto de Barros. Nas quatro faces inscreveram.se a bronza os nomes e as datas das principais batalhas da guerra da Restauração[2] .

Por ocasião da implantação da República Portuguesa a nova Bandeira de Portugal, após a decisão de alteração das suas cores, foi hasteada pela primeira vez e apresentada oficialmente para todo o país, a 1 de Dezembro de 1910, junto deste monumento por ocasião dos 270 anos da Restauração da Independência[3] .

Monumento, Praça dos Restauradores em Lisboa
João Abel Manta, pavimento do passeio central, Praça dos Restauradores, Lisboa

Referências

  1. Carlos Vieira da Rocha, Anuário da Sociedade Histórica da Independência de Portugal,1978-5 fev. 1987, Edição S. H. I. P., Junho de 1998, Lisboa
  2. Carlos Vieira da Rocha, Anuário da Sociedade Histórica da Independência de Portugal,1978-5 fev. 1987, Edição S. H. I. P., Junho de 1998, Lisboa
  3. Bandeiras de Portugal (em português) Acção Monárquica Tradicionalista. Página visitada em 2012-06-01.
Ícone de esboço Este artigo sobre Arruamentos, integrado no Projecto Grande Lisboa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Praça dos Restauradores