Reino de Jaén

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Mapa dos quatro reinos da Andaluzia

O Reino de Jaén, conhecido também como Santo Reino, foi um antigo reino (primeiro muçulmano e depois cristão) que comprendeu um território que coincide, aproximadamente, com a atual província de Jaén, na Andaluzia, sul de Espanha.

Após tê-lo conquistado em março de 1018, Abderramão IV (Abd ar-Rahman), califa de Córdova, deu-lhe o nome de Jaén. No século XIII, após várias tentativa fracassada, foi conquistado por Fernando III de Leão e Castela, o Santo, tendo até então sido um reduto dos almóadas. Após vários tentativas de Fernando III, Al-Ahman, com o objetivo de consolidar o Reino de Granada, rendeu-se, tornando-se vassalo à Fernando III, e entregou-lhe a cidade.

Depois disso, Jaén seria sede civil e eclesiástica do Alto Guadalquivir. O reino seria formado pelas cidades de Jaén, Úbeda, Baeza e Andújar, e as vilas de Arjona, Santisteban del Puerto e Iznatoraf, constituindo um território semelhante ao da atual província de Jaén. Alcalá la Real seria incorporada no século XIV. Após a divisão provincial de Javier de Burgos, na primeira metade do século XIX, Jaén perderia territórios que seriam cedidos à província de Ciudad Real: Albaladejo, Terrinches, Puebla del Príncipe e Villamanrique.


Ícone de esboço Este artigo sobre História da Espanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.