Renzo Agresta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Renzo Agresta
Informações pessoais
Nome completo Renzo Pasquale Zeglio Agresta
Modalidade Sabre
Nascimento 27 de junho de 1985 (28 anos)
São Paulo,  São Paulo
Nacionalidade Brasil
Medalhas
Jogos Pan-Americanos
Bronze Rio de Janeiro 2007 Sabre individual
Bronze Guadalajara 2011 Florete por equipes
Bronze Guadalajara 2011 Sabre por equipes

Renzo Pasquale Zeglio Agresta (São Paulo, 27 de junho de 1985) é um esgrimista brasileiro na modalidade sabre.

Atualmente mora em São Paulo e treina no Esporte Clube Pinheiros, depois de treinar em Roma durante alguns anos e estudar na Universidade John Cabot. Participou dos Jogos Pan-Americanos de 2003 em Santo Domingo, 2007 no Rio de Janeiro e 2011 em Guadalajara, e das Olimpíadas de 2004 em Atenas e 2008 em Pequim.

Começou sua carreira no Club Athletico Paulistano, ao acompanhar um amigo que iniciaria lá os treinos no esporte — o amigo depois acabaria desistindo.[1] Seu primeiro título internacional adulto foi o Campeonato Pan-Americano, que ele já havia conquistado nas categorias cadete e juvenil, tornando-se o primeiro atleta a vencer as três categorias de maneira consecutiva.[1] No segundo semestre de 2005 foi treinar em Roma com o técnico Alessandro Di Agostino. Segundo Renzo, ainda há uma lacuna grande entre a esgrima nacional e a europeia, o que faz o treinamento na europa ser primordial para crescimento como atleta internacional[2] . "Essa deve ser a minha maior evolução na esgrima", disse em setembro de 2005, antes de embarcar para a Itália.[1] Nessa época já era chamado pelo jornal O Estado de S. Paulo de "principal esgrimista do país".[1]

Renzo conquistou a medalha de bronze com o sabre no Pan-Americano do Rio de Janeiro, em 2007[3] , em 2008 passou a figurar entre os top 50 do sabre no ranking mundial[4] , e em março garantiu uma das vagas reservadas à América para as provas de esgrima das olimpíadas de Pequim, após a etapa de Alger (Argélia) da copa do mundo de esgrima[5] , tornando-se o primeiro brasileiro a chegar à competição sem precisar disputar um pré-olímpico, pela posição no ranking que conquistou.[6] Chegou para a competição com ambição de ficar entre os dezesseis primeiros do sabre[7] , mas acabou eliminado na segunda fase pelo cabeça-de-chave número um, o italiano Luigi Tarantino.[6] Em Atenas, quatro anos antes, ele havia sido eliminado na mesma fase pelo então campeão mundial, o ucraniano Vladimir Lukashenko.[1] No final de 2008 foi premiado pelo Comitê Olímpico Brasileiro com o Prêmio Brasil Olímpico na sua modalidade.[8] Foi a sexta vez que ganhou o prêmio, tendo sido agraciado também em 2002, 2004[9] , 2005, 2006[10] e 2007[11] .

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Amanda Romanelli. (19 de setembro de 2005). "Rumo a uma medalha no Pan" (em http://www.jt.com.br/editorias/2008/04/07/ger-1.94.4.20080407.12.1.xml). O Estado de S. Paulo (13 741): pág. E6. S.A. O Estado de S. Paulo.
  2. "'Paitrocínio' garante a esgrimista Renzo Agresta aprimoramento italiano", Rodrigo Bertolotto, Uol Olimpíadas 2008, 30/5/2008, acessado em 30/5/2008
  3. "Brasileiro Renzo Agresta é bronze no sabre", Liana Pithan, Terra Esportes, 18/7/2007
  4. "Quem sabe, sabre", Placar Especial, "Guia de Pequim 2008", julho de 2008, Editora Abril, pág. 27
  5. "Esgrima e levantamento levam o Brasil a 159 vagas em Pequim", Uol Esporte, 24/3/2008
  6. a b "Renzo Agresta perde para italiano e é eliminado na esgrima", Lello Lopes, Uol Esporte, 12/8/2008
  7. "No meio da badalação, esgrima tenta manter o foco na Olimpíada", Lello Lopes, Uol Esporte, 6/8/2008
  8. COB premia Cielo e Maurren como melhores do ano. Estadão.com.br (16 de dezembro de 2008). Página visitada em 10/1/2009.
  9. Vanderlei e Daiane são os melhores de 2004. Estadão.com.br (7 de dezembro de 2004). Página visitada em 10/1/2009.
  10. Giba e Laí­s Souza são eleitos atletas do ano pelo COB. Estadão.com.br (12 de dezembro de 2006). Página visitada em 10/1/2009.
  11. Thiago Pereira e Jade Barbosa São eleitos os melhores do ano. Estadão.com.br (17 de dezembro de 2007). Página visitada em 10/1/2009.