Retícula

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Screen tone example.svgManga screentone.svgBenday Dots.svg
Exemplos do uso da retícula em figuras geométrica e uma ilustração garota desenhada no estilo mangá (à esquerda); Exemplo de pontos de Ben-Day


Retícula (Screentone em inglês)[1] é um nome genérico da técnica de finalização artística muito usada em histórias em quadrinhos[2] e na pop art[3] e que consiste em imprimir, por decalque, texturas sobre o papel.[4]

Uma folha de retícula é composta por uma camada flexível e transparente que contém a textura impressa. A folha de retícula é colocada sobre o papel, com a textura para baixo e ao ser esfregada com o lado cego de uma lâmina transfere a textura para o papel.

As retículas são usadas por ilustradores e artistas, especialmente para sugerirem cores.[5] A aplicação tem sido simplificada através da computação gráfica e o surgimento de retículas digitais, mas as retículas tradicionais ainda são usadas por alguns autores de mangá.[6] [7]

No Brasil, os chamado "pontos Ben-Day" (Ben-Day Dots em inglês), processo criado por Benjamin Day, também são conhecidos como retículas[8] . Uma das diferenças dos pontos de Ben-Day para as retículas propriamente ditas é que esses são coloridos e aquelas, em preto e branco.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Tamra Orr. In: Rosen Publishing Group. Manga Artists. [S.l.]: 2009. 41, 45, 56 pp. 9781404218543.
  2. Moacy Cirne. In: Vozes. Bum! A Explosão Criativa dos Quadrinhos. [S.l.]: 1971. 56 pp.
  3. David Mccarthy. In: Cosac & Naify. Movto Arte Moderna - Arte Pop. [S.l.]: 2007. Capítulo: Produção e Consumo. 34 pp. 8575030647.
  4. Sharon Kinsella, Adult Manga: Culture and Power in Contemporary Japanese Society, Routledge, 2000, p59. ISBN 0-7007-1003-5
  5. Manga for Dummies Por Kensuke Okabayashi. In: For Dummies. Manga for Dummies. [S.l.]: 5 de Fevereiro de 2007. 10 pp. 0470080256.
  6. Mangá "de verdade" PÁGINA 2 (em português) site Anime Pró. Visitado em 12/05/2010.
  7. Sidney Gusman (2008). SETON - UM NATURALISTA VIAJANTE # 1 - LOBO, O REI DE CURRUMPAW Universo HQ.
  8. Álvaro de Moya. In: Editora Perspectiva. Shazam! - Volume 26 de Coleção Debates. [S.l.]: 1970. 36, 265 pp.
Ícone de esboço Este artigo sobre arte ou história da arte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.