Satélite espião

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Satélite KH-4B Corona
Lacrosse, satélite de reconhecimento por radar, em construçao.

Um satélite espião (oficialmente referenciado como sendo um satélite de reconhecimento) é um satélite de observação da Terra ou um satélite de comunicação utilizado para fins militares ou de espionagem. A primeira geração de satélites espiões, (i.e. Corona1 2 e Zenit) fotografavam a superfície da Terra e então ejetavam capsulas com os filmes fotográficos, os quais desciam e eram recuperados em solo. Mais tarde, os satélites espiões foram equipados com sistemas de fotografia digital e transmitiam as imagens através de conexões de rádio.

Origens[editar | editar código-fonte]

Em 16 de março de 1955, a Força Aérea dos Estados Unidos iniciou oficialmente o desenvolvimento de um avançado satélite de reconhecimento para possibilitar uma vigilância contínua de "áreas pré-selecionadas da Terra", a fim de "determinar o status da capaciade bélica de um inimigo em potencial". 3

Missões[editar | editar código-fonte]

Exemplo de missões de satélites de reconhecimento:

  • Fotografia de alta resolução (IMINT)
  • Comunicações criptografadas (SIGINT)
  • Comunicações secretas.
  • Detecção de testes nucleares proibidos.
  • Detecção de lançamento de mísseis.
  • Rastreamento veloz

Tipos[editar | editar código-fonte]

Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Período Designação Codenome Óptica Notas
1959–1972 KH-1 to KH-4 Corona Resolução: 7.5 m, 2.75 m, 1.8 m
Focal length: 0.6 m
Primeira série de satélites espiões dos EUA; fotografias retornavam no rolo de filme.
1960–1962 Samos Res: 30 to 1.5 m
Foc len: 0.7 to 1.83 m
A maioria dos vôes usavam rádio para transmitir as imagens; alguns filmes retornavam; provavelmente cancelada devido à má qualidade das imagens.
1961–1964 KH-5 Argon Res: 140 m
Foc len: 76 mm
Filme retornava.
1963 KH-6 Lanyard Res: 1.8 m
Foc len: 1.67 m
Operação de curta duração para imageamento de um sítio específico; usava uma câmera a partir do programa Samos; filme retornava.
1963–1967 KH-7 Gambit Res: 0.46 m Filme retornava.
1966–1984 KH-8 Gambit
Big Bird
Res: 0.5 m Filme retornava.
1971–1986 KH-9 Hexagon
Big Bird
Res: 0.30 m Filme retornava.
cancelado KH-10 Dorian Manned Orbital Laboratory; estação espacial baseada no programa Gemini.
1976–1995 KH-11 Crystal
Kennan
Res: 0.15 m
Mirror: 2.3 m
Primeiro satélite espião que se tem notícia a usar imagens digitais. Tinha um tamanho e layout geral similar ao Telescópio espacial Hubble.
1990—? KH-12 Ikon
Improved Crystal
Res: 0.15 to 0.10? m
Mirror: 2.4 to 4? m
Imagens digitais; possivelmente incorporou baixos níveis de luz e imageamento infravermelho na faixa de 3 a 5 micrometros.
1999—? KH-13 8X? EIS? Res: 0.10? to 0.04? m
Mirror: 4? m
Pouca informação; possivelmente fazia imagens de radar ou tralvez usasse tecnologia stealth.

União Soviética[editar | editar código-fonte]

China[editar | editar código-fonte]

Alemanha[editar | editar código-fonte]

França[editar | editar código-fonte]

Reino Unido[editar | editar código-fonte]

Índia[editar | editar código-fonte]

Iran[editar | editar código-fonte]

  • Sinah-1
  • Mesbah (pronto para lançamento)

Israel[editar | editar código-fonte]

Japão[editar | editar código-fonte]

Egito[editar | editar código-fonte]

Coréia do Sul[editar | editar código-fonte]

Em ficção[editar | editar código-fonte]

Satélites espiões são frequentemente vistos em filmes sobre espionagem ou ficção militar. Alguns trabalhos de fição que focalizam especialmente os satélites espiões incluem:

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • www.voltairenet.org/article152724.html