Vela (satélite)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Os satélites Vela-5A/B na sala limpa. Os dois satélites, A e B, se separavam pouco antes de entrar em órbita.

Vela (do espanhol vela: vigília) é uma família de satélites de reconhecimento desenvolvidos pelos Estados Unidos no âmbito do projeto Vela, cujo objetivo era controlar a aplicação do Tratado de Interdição Parcial de Testes Nucleares, assinado em 1963 com a antiga URSS e vários outros países que dispunham de um programa de armas nucleares. O primeiro satélite da série foi lançado em 1963 e os últimos foram colocados em órbita em 1970, tendo sido desativados em 1984. Para cumprir seus objetivos, os satélites eram equipados de instrumentos que permitiam detectar raios gama, raios X e nêutrons emitidos por explosões nucleares. Os instrumentos desses satélites possibilitavam captar erupções de raios gama gamma - esses eventos astronômicos violentíssimos que acompanham o nascimento de buracos negros que segue a morte de uma estrela ou uma colisão de galáxias.

Os satélites Vela eram 12, sendo seis do tipo Vela Hotel e seis do tipo Advanced Vela. Os satélites da série Vela Hotel foram concebidos para detectar explosões nucleares no espaço, enquanto que os satélites Advanced Vela detectavam explosões produzidas no espaço e também na atmosfera.

Todos os satélites Vela foram fabricados pela TRW. Lançados em pares, em propulsores Atlas-Agena ou Titan IIIC, eram colocados em pontos diametralmente opostos em uma órbita circular situadas entre 100.000 km e 113.000 km de altitude, bastante acima dos cinturões de Van Allen.