Scanners

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde julho de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Scanners
Scanners
Scanners (PT)
Scanners, Sua Morte Pode Destruir (BR)
 Canadá
1981 • cor • 103 min 
Direção David Cronenberg
Produção Claude Héroux
Roteiro David Cronenberg
Elenco Jennifer O'Neill
Stephen Lack
Patrick McGoohan
Lawrence Dane
Michael Ironside
Gênero terror, ficção científica, suspense
Idioma Inglês
Música Howard Shore
Cinematografia Mark Irwin
Edição Ronald Sanders
Distribuição Avco-Embassy Pictures (EUA)
Manson International (Fora dos EUA)
Lançamento 14 de janeiro de 1981 (EUA)
Orçamento US$3.500.000 (est.)
Receita US$14.225.876
Página no IMDb (em inglês)

Scanners (br: Scanners, Sua Morte Pode Destruir / pt: Scanners) é um filme canadense de 1981, dos gêneros terror e ficção científica, escrito e dirigido por David Cronenberg e estrelando Jennifer O'Neill, Stephen Lack e Patrick McGoohan. No filme, "scanners" são pessoas com poderes telepáticos e telecinéticos incomuns. A corporação ConSec busca scanners para usá-los para suas próprias intenções. O enredo do filme aborda a tentativa de Darryl Revok, um scanner renegado, de promover uma guerra contra a ConSec. Outro scanner, Cameron Vale, é enviado pela ConSec para deter Revok.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

A história é estruturada como um thriller futurista, envolvendo espionagem industrial e intriga, perseguições a carro, conspirações e tiroteios (incluindo um duelo repulsivo entre Vale e Revok no final). Foi a coisa mais próxima de um thriller de ficção científica convencional que Cronenberg fez até então, sem contar o conteúdo sexual de Calafrios, Rabid ou Os Filhos do Medo; foi também seu filme mais lucrativo até A Mosca, seis anos depois.[carece de fontes?]

Devido à excentricidade das estruturas de financiamento cinematográfico do Canadá naquela época, foi necessário começar a gravar com apenas duas semanas de pré-produção, antes do roteiro ter sido terminado, com Cronenberg escrevendo o roteiro entre às 4h e às 7h toda manhã durante as filmagens. Uma vez que a equipe de direção de arte não tinha tempo de construir cenários, algumas vezes a equipe teve que sair procurando locações para filmar. Com isso, Cronenberg disse, fazer Scanners foi um pesadelo.[carece de fontes?]

O maquiador Dick Smith (O Exorcista, Sweet Home) forneceu próteses para o importante duelo scanner e o efeito icônico da cabeça explodindo. [1] [2]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

  1. Vincent Canby "Scanners" New York Times (14 January 1981); "Scanners" Variety (1 January 1981); "Scanners" Cinemafantastique
  2. Kinnear, Simon (August 15, 2011). 50 Best Movie Special Effects. TotalFilm.com archive Retrieved January 24, 2012