Silvio Gallo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde fevereiro de 2010).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Silvio Donizetti de Oliveira Gallo (Campinas, 17 de setembro de 1963) é um pedagogista e filósofo anarquista brasileiro, autor de uma série de publicações fundamentais que o tornaram um dos principais expoentes da pedagogia libertária no Brasil.

Formação[editar | editar código-fonte]

Em 1986 Gallo se formou no curso de Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Em 1990 tornou-se mestre em Educação pela Universidade Estadual de Campinas, sua dissertação de mestrado, intitulada Educação anarquista: por uma pedagogia do risco[1] seria publicada alguns anos depois com o título Pedagogia do Risco: Experiências Anarquistas em Educação. Em 1993 recebe o título de doutor em Educação também pela Universidade Estadual de Campinas, com a tese intitulada Autoridade e a construção da liberdade: o paradigma anarquista em educação[2] .

Docência[editar | editar código-fonte]

Desde 1996 é professor suplente pela Universidade Estadual de Campinas. Foi professor titular da Universidade Metodista de Piracicaba entre os anos de 1990 e 2005. Possui uma ampla atuação na área da Educação e especificamente na área da Filosofia da Educação, com os temas filosofia francesa contemporânea e educação, ensino de filosofia, ensino médio, filosofia e transversalidade, anarquismo e educação, e pedagogia libertária.

Citação[editar | editar código-fonte]

"...a educação tradicional veiculada pelo capitalismo teria por objetivo disseminar a ideologia da perpetuação e manutenção do sistema social, ensinar a ver o mundo de uma maneira socialmente aceita, a agir segundo esses parâmetros. A educação anarquista, por sua vez, teria por objetivo desestruturar essa ideologia social e ensinar a construção da liberdade, para que cada um pense e aja à sua maneira, criando sua própria ideologia, assumindo sua singularidade, sem no entanto fechar-se para a amplitude do meio social[3] "


Publicações[editar | editar código-fonte]

Bibliografia e Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Referências

  1. Disponível em: http://cutter.unicamp.br/document/?code=vtls000028991
  2. Disponível em: http://cutter.unicamp.br/document/?code=vtls000065424
  3. Pedagogia do risco: experiências anarquistas em educação. Campinas: Papirus, 1995, p.37

Veja também[editar | editar código-fonte]


Portal Portal da Anarquia