Skunk

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde fevereiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde janeiro de 2011).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

Skunk, também conhecido como skank ou supermaconha, é a uma espécie de maconha, manipulada e alterada geneticamente para maior produção de flores ou maior potência de suas substâncias psicoativas, conhecidos por endocanabinóides. Como a maioria dos vegetais, pode ser cultivada através de sistema hidropônico, podendo alcançar alto teor de THC. A concentração da maconha comum é da ordem de 2,5%[carece de fontes?], no skunk a concentração sobe para 17,5%.[1]

Para conseguir índices mais altos de THC e de produtividade é tratada e cultivada com fertilizantes e proteínas especificas de acordo com a necessidade da planta. Em geral, a planta é fumada e metabolizada pelo fígado até que o THC seja absorvido pelo cérebro e aparelho reprodutor[carece de fontes?]. Pesquisas recentes apontam ainda que o alto teor de THC usa uma substância produzida pelos neurônios (a anandamina) para se fixar no organismo.

Por serem espécimes ímpares as boas sementes são de difícil acesso, quando se há possibilidade de plantio, os cultivadores usam métodos para manter a linhagem da planta sem que ela morra após a colheita. Um dos métodos é a clonagem, onde se corta um pequeno ramo apical, banha-o com hormônio enraizador para plantas e água (pequenos recipientes, um bom substrato é a vermiculita, um tipo de rocha expandida que retém elevada umidade) até que brote alguma raiz, então coloca-se em uma sementeira sob alta e constante luminosidade para induzir a fase vegetativa do pequeno broto. Deve se ficar muito atento ao crescimento dos clones pois sem raízes estes ficam muito frágeis e debilitados. Com este método é possível o controle de quantidade e o uso da mesma planta durante longos períodos.

Efeitos[editar | editar código-fonte]

Produz os efeitos da maconha, porém de potência maior e incapacitante. O Skunk assim como a maconha, reduz a concentração (ou a aumenta, dependendo do indivíduo) alterando o funcionamento dos neurônios. Neurotransmissores como a serotonina e dopamina são afetados, proporcionando alterações motoras e de memória.[1]

Os usuários podem desenvolver ansiedade.[carece de fontes?] Os efeitos do skunk no organismo são todos potencializados, igual ao THC. O que diferencia o skunk da maconha comum é a maior capacidade entorpecente, com efeitos incapacitantes. Os componentes ativos em ambos são chamados de delta-9 tetra-hidro-canabinol (THC). Na maconha, a concentração dos componentes encontrados nas folhas, flores e frutos prensados equivale a 2,5%[carece de fontes?], já no skunk o índice de THC equivale de 5% a 23% dependendo da cruza de espécies e sua produção pode ser de até 400/500G por m² utilizando sistemas otimizados de cultivo.

Referências

  1. a b Skank - A SUPERMACONHA. Página visitada em 05/03/2009.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma droga é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.