Somália do Sudoeste

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Janeiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
As áreas reivindicadas pela Somália do Sudoeste compreende as regiões de Bakool (2), Bay (5) e Shabeellaha Hoose (15), em laranja, e Gedo (7), Jubbada Dhexe (9) e Jubbada Hoose] (10), em amarelo, também reivindicadas pelo Jubalândia.
Bandeira da Somália do Sudoeste

A Somália do Sudoeste (em somali: Koonfur-Galbeed Soomaaliya) é um estado auto-proclamado autônomo da Somália, fundado por Hasan Muhammad Nur Shatigadud, líder do Exército de Resistência Rahanweyn (RRA) em 1 de abril de 2002.

Oficialmente chama-se Estado do Sudoeste da Somália (em inglês: Southwestern State of Somalia (SWS); em somali: Dowlad Goboleedka Koonfur-Galbeed ee Soomaaliya) e pretende ser constituído por seis regiões administrativas da Somália (gobolka), embora apenas duas são atualmente controladas por suas forças. São elas: Bay, Bakool, Jubbada Dhexe, Shabeellaha Hoose, Gedo e Jubbada Hoose, regiões onde a maioria dos residentes pertencem aos clãs Digil e Mirifle do clã Rahanweyn, e falam um dialeto do somali chamado May-May ou Maay. A constituição do estado autônomo foi um movimento para mostrar o desafeto do RRA com o novo Governo Transicional Naciopnal (TNG), com base em Mogadíscio, e um ato contra a influência do Conselho de Reconciliação e Restauração da Somália (SRRC) na mesma região.

Durante a Guerra Civil Somali, a região de Bay foi duramente contestada entre as forças aliadas da Somália do Sudoeste e do Governo Transicional Federal (TFG), que controlavam os distritos de Baidoa e Qansax Dheere, e a União das Cortes Islâmicas (ICU), que controlavam os distritos de Diinsoor e Buur Hakaba (apesar de ter sido capturado duas vezes pelas forças do governo por breves períodos). As forças do TFG e da Somália do Sudoeste, ajudada pelas tropas etíopes, saíram vitoriosas da Batalha de Baidoa.

A Somália do Sudoeste almejava e ainda almeja ser um estado autônomo da mesma forma que Puntlândia e não tem intenção de se separar do resto da Somália como fez a Somalilândia. Uma disputa potencial de território existe, sob a visão da Somália do Sudoeste, com a Jubalândia, controlada pela Aliança do Juba Vale (JVA). A Somália do Sudoeste organizaria todos as 6 regiões do sul da Somália (ao sul e oeste de Mogadíscio) com a capital na cidade de Baidoa. A JVA reivindica toda a região de Jubbada Hoose e partes das regiões de Gedo e Jubbada Dhexe com Kismaayo como sua capital.

O governo interino do TFG espera resolver este problema potencial antes do término do seu mandato. Talvez seja possível manter todo estado unido (composto pelas 6 regiões) com Baidoa como capital política e Kismaayo como capital comercial.

Ver também[editar | editar código-fonte]