Sonata

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde março de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.


Na origem do termo, sonata, de sonare (latim), era a música feita para "soar", ou seja, a música instrumental - em oposição à cantata, a música cantada.

Não tinha forma definida e no Barroco foram escritas principalmente para solistas de instrumentos de sopro ou cordas acompanhados do baixo contínuo, que era o cravo com a mão esquerda (o baixo) reforçada por uma viola da gamba ou fagote.

As sonatas de Domenico Scarlatti foram feitas para cravo solo e compostas no esquema A-B. Com o passar do tempo, sonata passou a designar a forma musical definida já por Carl Philipp Emanuel Bach (filho de J. S. Bach) e que se tornou o modelo de música no Classicismo.

Sonata Clássica[editar | editar código-fonte]

No Classicismo, a sonata é uma composição para instrumentos solistas, geralmente piano, em três movimentos (normalmente dois rápidos e um lento), sendo um deles escrito na forma tradicional (exposição, desenvolvimento, reexposição). Desenvolvida pela Escola Clássica de Viena, os compositores que mais escreveram sonatas clássicas foram Mozart, Haydn e Beethoven. Os grandes contrastes provocados por significativas variações de tons e temas as caracterizaram, dando aspecto dramático às composições[1] .

Na sonata clássica, o primeiro movimento é desenvolvido dentro da forma sonata, que é muito rígida, obedecendo à seguinte sequência:

TemaI TemaII :|| Desenvolvimento TemaI TemaII Coda||

O segundo movimento é livre, em andamento lento (andante, adagio, largo, etc). A peça termina com um allegro (ou scherzo - como em Beethoven), geralmente na forma de rondó ou minueto. Eventualmente havia ainda um quarto movimento. Portanto:

  1. primeiro movimento rápido, baseado na forma-sonata.
  2. movimento lento, geralmente em forma de variações;
  3. movimento dançante (minueto, por exemplo, remanescente da suíte);
  4. movimento final, de caráter enérgico e conclusivo (scherzo, por exemplo).

Obviamente essa estrutura era modificada de acordo com o compositor. Todavia, permaneceu como principal estrutura de composição até meados do século XX.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.