Tecoma stans

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaIpê-de-jardim
ipêzinho

ipêzinho
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Tubiflorae
Família: Bignoniaceae
Género: Tecoma
Espécie: T. stans
Nome binomial
Tecoma stans
(L.) Juss. ex Kunth
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Tecoma stans

Tecoma stans, popularmente Ipê-de-jardim,[1] amarelinho,[2] guarã-guarã,[3] ipê-amarelo-de-jardim,[3] ipê-mirim,[3] ipezinho-de-jardim[3] ou sinos-amarelos,[4] é um arbusto ou pequena árvore muito ramificada. As folhas compostas são serreadas, as flores amarelas em forma de campânula formam inflorescências vistosas. Produz por longos períodos muitas sementes que germinam facilmente. Brota também a partir de estacas: podada, rebrota intensamente. Usada em arborização urbana.

Nativa do México e sul dos EUA, foi introduzida no Brasil a partir de 1871 como ornamental, e hoje é infestação séria em pastos em todo o país, mas afeta principalmente o Paraná e a Serra Gaúcha.

Danos[editar | editar código-fonte]

  • Abafa a vegetação nativa por formar aglomerados densos, e com isso retarda a regeneração de áreas degradadas.
  • Diminui a biodiversidade por dominar os locais onde se instala.
  • Inutiliza pastos.

Controle[editar | editar código-fonte]

Ainda não foram divulgados os estudos de controle biológico por fungos.

O controle mecânico é contraproducente, apenas o controle químico, por herbicidas perigosos, manipulados por pessoas especializadas, tem surtido efeito. O custo desse controle é alto, tanto economicamente como para o ambiente.

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Tecoma stans

Referências

  1. Guilherme Mazza Dourado. Modernidade verde: jardins de Burle Marx. Senac; 2009. ISBN 978-85-7359-857-5. p. 321.
  2. M. H. Julien; Rene Sforza; M. C. Bon. Proceedings of the XII International Symposium on Biological Control of Weeds. CABI; 2008. ISBN 978-1-84593-506-1. p. 118.
  3. a b c d [1]. Museu Nacional UFRJ. Página visitada em 16/01/2014.
  4. Mítzi Brandão; Júlio Pedro Laca-Buendia; João Faria Macedo. Arvores nativas e exóticas do Estado de Minas Gerais. Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais; 2002.
Ícone de esboço Este artigo sobre a ordem Lamiales, integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.